cineclick-logo
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • Fale Conosco|Política de Privacidade
    © 2010-2020 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    007 CONTRA SPECTRE

    Spectre tem tudo o que um filme de James Bond precisa
    Por Pedro Tritto
    31/10/2015
    8/10

    007 CONTRA SPECTRE

    14
    Ação

    James Bond está de volta e em grande estilo. Depois do tremendo sucesso de Operação Skyfall, o diretor Sam Mendes tinha a árdua missão de tornar 007 Contra Spectre algo tão grandioso quanto o seu antecessor. Conseguiu!

    Mesmo sem ter a carga dramática de Skyfall, o 24º longa da série consegue divertir e cativar com suas belas locações e sua trama intrigante, que resgata vários elementos importantes da história cinematográfica do espião britânico.

    O maior deles é a Spectre, principal inimiga do agente secreto nos primeiros longas da franquia. Sabendo da responsabilidade que tinha nas mãos, Mendes tomou todas as precauções para que os terroristas voltassem de maneira digna para a série. Mais uma vez o cineasta acertou em cheio, pois a organização que dá título ao filme é colocada de maneira bem sinistra e possui referências que os fãs, principalmente os mais fanáticos, vão amar.

    Logo no início da trama, Bond mata um criminoso e pega um anel misterioso. Intrigado com o objeto e com uma mensagem que recebeu depois da morte de sua antiga chefe (Judi Dench), o espião começa a investigar algo que parece ser uma gigantesca organização.

    No entanto, ele faz tudo por conta própria pois não confia em ninguém, principalmente por saber que o Serviço Secreto recebe ameaças de Max Denbigh (Andrew Scott), um dos novos integrantes do Centro de Inteligência, e por descobrir que Franz Oberhauser (Christoph Waltz), um nome relacionado ao seu passado, também possui ligações estranhas com um grupo criminoso.

    Como exige sua grande tradição, 007 proporciona novamente para o espectador momentos marcantes durante as duas horas e meia de filme. No entanto, mesmo sendo o maior espião do cinema, o agente secreto infelizmente não é capaz de eliminar alguns deslizes do roteiro. Pior para os vilões e para as Bond Girls, que acabam sofrendo com isso.

    Enquanto as atenções estão voltadas para Christoph Waltz, Dave Bautista tem passagem pouco destacada. O grandalhão Sr. Hinx, forte capanga monossilábico a lá Oddjob (personagem clássico de 007 Contra Goldfinger), vivencia boas lutas com Bond, mas não participa da trama da forma que merecia.

    Falando das mulheres do longa, Monica Bellucci e Léa Seydoux encantam com suas belezas. Até por isso, é uma pena que Lucia Sciarra (Bellucci) tenha uma passagem bem rápida e Madeleine Swann (Seydoux) não cause o mesmo impacto de outras Bond Girls. Mesmo sendo a principal personagem feminina, a psicóloga loira não tem sua história tão aprofundada, o que deixa algumas dúvidas para o espectador.

    Para compensar, Daniel Craig mais uma vez mostra devoção e uma dedicação admirável na hora de interpretar 007. Com várias frases de efeito, o ator traz todo o poder de persuasão e sarcasmo de Bond, algumas das características que marcaram a extensa trajetória do personagem até aqui.Tomara que ele continue no papel, pois o ator prova que tem condição a cada cena de ação e duelos com os inimigos.

    Se 007 Contra Spectre não é o melhor filme de toda a franquia (não é), ele é um dos mais emocionantes, pois consegue ser misterioso, sombrio, elegante e explosivo. Em outras palavras, é tudo o que um bom filme de James Bond precisa ser. Além disso, o longa consegue dar a atenção que o verdadeiro fã merece, pois mantém o bom nível de Operação Skyfall sendo grandioso e fiel ao cânone criado desde 007 Contra O Satânico Dr. No.