cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    3 BELEZAS

    Comédia critica obsessão das venezuelanas pelos título de Miss
    Por Gustavo Assumpção
    18/10/2014

    Com a tradição da Venezuela nos concursos de Miss, não é de se estranhar que a competição faça parte do imaginário de tantas meninas que nascem no país. É justamente essa realidade que inspirou 3 Belezas, uma comédia ousada que, com viés crítico, tenta desconstruir essa verdadeira obsessão.

    Dirigida pelo jornalista e roteirista Carlos Caridad Montero, o longa abusa dos exageros típicos das comédias latinas para contar a história de Perla (Diana Peñalver), uma mãe obcecada pelo sonho de ver suas filhas (Fabiola Aracce e Josette Vidal) vencerem o principal concurso de beleza da Venezuela. 

    A opção do diretor foi dividir essa história em capítulos, mostrando o desenvolvimento dos personagens em ordem cronológica. Se na primeira parte o filme perde a mão e exagera nos clichês ao contar a infância das meninas, a segunda metade de 3 Belezas é mais inspirada, principalmente quanto insere de maneira bem humorada o fanatismo religioso de um pastor brasileiro que converte a família ao cristianismo.

    O tom crítico permeia todo o projeto, que discute o exagero ao corpo perfeito, as intervenções cirúrgicas desnecessárias e a concorrência entre as participantes destes concursos. Mas nada é discutido fora da superfície, o que acaba criando um certo desconforto no espectador.

    É bem verdade que o filme também fracassa em sua tentativa de ser debochado. Investindo em situações de gosto duvidoso e em um humor pastelão (semelhante ao que vemos em telenovelas do país), o roteiro descaracteriza os personagens, colocando-os em situações inexplicáveis apenas para criar situações meramente cômicas que nem sempre funcionam.

    3 Belezas pesa a mão, mas é, sem dúvidas, bem intencionado. Descontruir tabus e promover discussões sobre comportamentos tão padronizados é sim uma das possibilidades do cinema, algo que o diretor consegue, mesmo que escorregando aqui e ali.