cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    A CARTADA FINAL

    Por Celso Sabadin
    22/05/2009

    Várias vezes já escrevi neste espaço que a pura e simples presença de excelentes efeitos especiais não faz, necessariamente, um filme de qualidade. Dentro do mesmo raciocínio, a pura e simples presença de um elenco maravilhoso também não é suficiente para se fazer um bom filme, quando o roteiro é apenas mediano. Este é exatamente o caso de A Cartada Final, policial que tem o mérito de reunir, num mesmo set de filmagens, três grandes atores de três diferentes gerações: Marlon Brando, Robert De Niro e Edward Norton. O roteiro, porém, é previsível e igual a vários outros filmes do gênero.

    Max (Marlon Brando) é um criminoso da velha guarda que convence Nick (De Niro) a abrir mão de suas convicções “profissionais” de ladrão solitário. O plano é roubar um valiosíssimo cetro real, mas para isso Nick deverá trabalhar em conjunto com outro “colega”, o pernóstico Jack (Edward Norton). O resto, qualquer cinéfilo que curta filmes sobre roubos espetaculares já pode antever com alguma facilidade.

    Primeiro filme “sério” (não-comédia e não-infanto-juvenil) dirigido por Frank Oz, A Cartada Final acabou se transformando num martírio para a carreira do diretor. O sempre excêntrico Marlon Brando recusava-se a receber ordens de Oz e pediu para que todas as cenas em que ele participasse fossem dirigidas por De Niro. A briga interna não influenciou diretamente no resultado do filme, que tem bom nível de produção e direção segura, mas com um roteiro tão fraco que nem Oz (conhecido também como o dublador de Yoda, de Guerra nas Estrelas) poderia fazer milagre. A Força estava com Brando.

    29 de outubro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. celsosabadin@cineclick.com.br