cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    A GRANDE FAMÍLIA: O FILME

    Por Celso Sabadin
    26/01/2007

    Faz tempo que virou moda no cinema americano transformar seriados de TV em longas-metragens. As Panteras, Starsky & Hutch - Justiça em Dobro, A Feiticeira, Perdidos no Espaço e muitos outros são alguns exemplos disso. Então, por que não fazer o mesmo no Brasil? Assim como já havia acontecido com Os Normais, agora é a vez da Globo Filmes produzir A Grande Família - O Filme, baseado no seriado de sucesso, visando principalmente levar para o cinema o público acostumado com a televisão.

    A história começa num baile dos anos 50, contando como Lineu e Nenê se apaixonaram. Logo em seguida há um corte de tempo mostrando Nenê (Marieta Severo) preparando seu velho vestido para o baile que comemorará os 40 anos de união do feliz casal. Porém, Lineu (Marco Nanini) não está animado para nenhum tipo de comemoração: ele desconfia que pode ter um tumor no pulmão e prefere guardar segredo de seus temores. Enquanto isso, Nenê reencontra Carlinhos (Paulo Betti), uma antiga paquera, o que faz com que Lineu passe a repensar toda a sua vida.

    O humor rápido, rasteiro e bem interpretado por um elenco experiente que conhece bem o seu papel (afinal, são vários anos de sucesso na TV) faz do filme uma opção sem muitos riscos para as platéias que seguem o seriado na telinha. O mesmo não se pode dizer em relação ao público de gosto mais cinematográfico, que não verá na tela grande nada muito diferente do que já foi explorado pela TV. Em outras palavras, para quem busca mais do mesmo, o filme pode agradar; para quem prefere novidade e criação cinematográfica, não.

    O grande mérito do filme é o seu elenco, afinado e no timing correto (principalmente Pedro Cardoso), embora parte dele (principalmente Andréa Beltrão) mantenha a tradição "chanchadesca" de interpretar num tom de voz sempre uma oitava acima do normal. E o grande problema é o roteiro, que carrega a pretensão de contar três vezes a mesma história, sob três pontos de vista diferentes, o que acaba prejudicando o ritmo cômico. Duas vezes seriam mais do que suficiente.

    Bem produzido e com a divertida breguice romântica de Roberto Carlos na trilha sonora, A Grande Família - O Filme tem bom potencial de sucesso popular. Embora tenha perdido a grande chance de homenagear, de alguma forma, a versão anos 70 do seriado, na época com Jorge Dória e Heloísa Mafalda nos papéis principais.