cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    A SANGUE FRIO (2000)

    Por Celso Sabadin
    22/05/2009

    Nasce mais um cineasta que bebe na fonte (já quase seca) de Quentin Tarantino. Depois de roteirizar o ótimo Os Suspeitos, Christopher McQuarrie estréia na direção filmando um roteiro de sua autoria: The Way of the Gun, aqui traduzido como A Sangue Frio. Uma estréia apenas razoável, em que McQuarrie comete um erro bastante comum nas recentes aventuras policiais norte-americanas: o de tentar esconder eventuais fragilidades de roteiro e/ou da direção com toneladas de tiros e sangue. Uma pena. Mesmo porque o filme nem precisava de tanta apelação.

    A trama fala de Parker (Ryan Phillipe, de Segundas Intenções) e Longbaugh (Benicio Del Toro, Oscar de coadjuvante por Traffic), dois simpáticos golpistas que se deparam com a oportunidade de – finalmente – realizar um grande crime e tirar o pé da lama. A idéia é seqüestrar a jovem Robin (Juliette Lewis, fazendo novamente o seu brilhante papel de ... Juliette Lewis), garota contratada para ser barriga de aluguel de um milionário. Mas é claro que a ação de seqüestro é desastrosa e os pequenos criminosos acabam se metendo numa gigantesca enrascada.

    A Sangue Frio alterna bons e maus momentos. Em determinadas cenas, traz divertidas doses de sarcasmo e de uma violência estilizadamente exagerada. Em outras, patina, não sai do lugar e compromete o ritmo da ação. O resultado é irregular, mas demonstra que McQuarrie pode ter um bom futuro como diretor, principalmente se for assessorado por um montador que não tenha receio de cortar os excessos. Como simples entretenimento, o filme funciona, mas não é um bom programa para espectadores de estômagos mais sensíveis.

    Curiosidade: Juliette Lewis se casou dois dias antes do término das filmagens de A Sangue Frio. E a atriz Reese Whiterspoon teve um filho de Ryan Phillipe um dia depois. Apesar de toda a violência, trata-se de um legítimo “filme família”.

    28 de março de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista especializado em cinema desde 1980. Atualmente é crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão e do Canal 21. Às sextas-feiras é colunista do Cineclick. celsosabadin@cineclick.com.br