ALÉM DA ESCURIDÃO - STAR TREK

ALÉM DA ESCURIDÃO - STAR TREK

(Star Trek Into Darkness)

2013 , 130 MIN.

12 anos

Gênero: Ficção Científica

Estréia: 14/06/2013

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • J.J. Abrams

    Equipe técnica

    Roteiro: Alex Kurtzman, Damon Lindelof, Roberto Orci

    Produção: Alex Kurtzman, Bryan Burk, Damon Lindelof, J.J. Abrams, Roberto Orci

    Fotografia: Daniel Mindel

    Trilha Sonora: Michael Giacchino

    Estúdio: Bad Robot, Kurtzman Orci Paper Products, Paramount Pictures, Skydance Productions

    Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

    Elenco

    Alice Eve, Andy Demetrio, Anjini Taneja Azhar, Anton Yelchin, Ariel Diane King, Beau Billingslea, Brendan Norman, Brent McGee, Britanni Johnson, Bruce Greenwood, Chris Pine, Elly Kaye, Gianna Simone, Heather Langenkamp, Hina Khan, Jennifer Morrison, John Cho, Jon Lee Brody, Jonathan Dixon, Joseph Gatt, Karl Urban, Kasia Kowalczyk, Katie Cockrell, Kellie Cockrell, Kraisit Agnew, Kyle Valle, Melissa Baldridge, Mike Kalinowski, Nazneen Contractor, Nick Taraby, Ningning Deng, Noel Clarke, Nolan North, Omid Zader, Peet Montzingo, Peter Weller, Ser'Darius Blain, Simon Pegg, Tom Archdeacon, Westley Nguyen, Zachary Quinto, Zoe Saldana

  • Crítica

    10/06/2013 08h00

    Por Daniel Reininger

    Além da Escuridão - Star Trek foi cuidadosamente arquitetado para atingir de forma certeira os Trekkers fanáticos. Mais do que isso, J.J. Abrams prova mais uma vez ser habilidoso na arte de transformar histórias complexas em obras acessíveis, capazes de agradar a todos os públicos. Não é à toa que ele foi escolhido pela Disney para dirigir o novo Star Wars.

    A sequência do filme de 2008 é extremamente divertida e consegue superar o primeiro; com cenas de ação de tirar o fôlego e homenagens a momentos clássicos da extensa mitologia de Jornada nas Estrelas.

    Depois de uma abertura impressionante, nas selvas de um planeta habitado por uma civilização primitiva, é a vez do terrorista John Harrison (Benedict Cumberbatch) entrar em ação para desestabilizar a Frota Estelar. O vilão ataca pontos estratégicos e foge para o planeta dos Klingons, império militarista que hostiliza a Federação dos Planetas Unidos há algum tempo. Com o perigo de iniciar uma guerra, a tripulação da Enterprise é enviada para caçá-lo.

    Cumberbatch está perfeito como antagonista e é um vilão imponente. Suas motivações o humanizam, apesar dele ser extremamente frio e mais perigoso do que Nero (Eric Bana) foi no primeiro. Harrison é manipulador e deixa os espectadores intrigados o tempo todo sobre suas intenções. Ele, sozinho, é responsável por toda a brutalidade da produção.

    Em contraste com a seriedade do vilão, o humor está novamente presente no ponto certo. As piadas entre os personagens dão um tom leve, mesmo nos momentos mais tensos. Simon Pegg, como Scotty, rouba cada cena em que aparece e mostra ser indispensável para o sucesso da franquia.

    A relação entre os personagens está mais madura e as tiradas soam mais naturais. Entretanto, é a evolução de Kirk (Chris Pine) que mais chama atenção entre os mocinhos. O lado rebelde do garoto o leva ao fundo do poço, mas diante da ameaça ele se transforma, aos poucos, no capitão ousado e habilidoso que todos conhecem. Ao lado de Zachary Quinto, como Spock, fazem uma dupla imbatível.

    Novamente a parte técnica impressiona. O visual está impecável e os efeitos em terceira dimensão foram bem utilizados. E é claro que em Imax 3D as coisas ficam ainda melhores, principalmente o som. Definitivamente vale a pena pagar um pouco mais caro pela experiência.

    O problema é o uso exagerado da trilha sonora, criada para gerar uma atmosfera grandiosa, porém cansativa. O ritmo frenético ainda causa mudanças drásticas de cenário e faz músicas de ritmos diferentes colidirem. Isso é resultado da forma como o filme foi montado. Embora a urgência da situação enfrentada pela tripulação da Enterprise justifique a rapidez dos acontecimentos, faltam pausas para os espectadores respirarem entre as cenas de ação. A vantagem, ao menos para o diretor, é que assim fica mais fácil esconder alguns furos de roteiro.

    Com Além da Escuridão, Abrams solidifica Star Trek como uma das séries mais bem-sucedidas da atualidade e prepara o terreno para apresentar situações ainda mais complexas no futuro. Embora profundidade não seja parte dos objetivos do cineasta, diversão e respeito ao espectador são. O elenco dá credibilidade ao longa e, em troca, os personagens passam a ser amados por uma nova geração.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus