cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    ALEX RIDER CONTRA O TEMPO

    Por Celso Sabadin
    19/01/2007

    Entre os filmes da série Pequenos Espiões e a insuperável franquia 007, existia aquilo que os marqueteiros chamam de "nicho de mercado a ser explorado". Explicando: se as aventuras de James Bond satisfazem ao público adulto e Pequenos Espiões atendem às necessidades do espectador mirim, por que não filmar algo dentro de mesmo gênero, porém dedicado ao adolescente? Está feito: Alex Rider Contra o Tempo chega aos cinemas para tentar ser o James Bond do público teen. E até que não faz feio dentro desta sua proposta mercadológica.

    Aos 14 anos, Alex Rider (Alex Pettyffer, estreando no cinema) é um rapaz rico e solitário. Uma de suas poucas companhias é a jovem governanta Jack (Alicia Silverstone, a eterna Patricinha de Beverly Hills), já que seu tio Ian (Ewan McCregor, de Star Wars) está sempre muito ocupado viajando. O que Alex não sabia, porém, é que o titio na verdade é um super-agente secreto do MI-6, o serviço secreto de inteligência britânico. Ou melhor, era. Ele acaba de ser assassinado durante uma missão e agora Alex está a um passo de descobrir toda a verdade. Mais que isso, o rapaz ainda será convidado a tomar o lugar do tio no mundo da espionagem.

    Alex Rider Contra o Tempo é a primeira adaptação para os cinemas da série de livros criada por Anthony Horowitz, que já vendeu oito milhões de exemplares, em 28 idiomas. O próprio autor roteirizou o filme. Até pela própria proposta da aventura, tudo tem um forte sabor de "Sessão da Tarde", mas com a vantagem de destilar bons momentos do sempre sutil humor inglês e de trazer as participações especiais dos sempre bem-vindos talentos britânicos Stephen Fry (V de Vingança), Bill Nighy (Simplesmente Amor) e Robbie Coltrane (da trilogia O Senhor dos Anéis).

    Pode não ser uma maravilha, mas é bem melhor que o trabalho anterior do diretor Geoffrey Sax, o sofrível Vozes do Além.