cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    AS BEM ARMADAS

    Melissa McCarthy dá graça à comédia comum
    Por Cristina Tavelin
    19/09/2013

    Que boa parte dos americanos fica entorpecida com tramas envolvendo FBI, perseguições e mulheres bonitas, já sabemos. Unir esses elementos um tanto comuns numa comédia poderia resultar em mais um desastre para a extensa lista já existente. As Bem-Armadas usa todos os clichês do gênero, mas consegue se bancar razoavelmente – em grande parte, graças à atuação de uma das protagonistas, Melissa McCarthy (Uma Ladra Sem Limites).

    Os holofotes estão sobre a musa quarentona Sandra Bullock (Um Sonho Possível) que interpreta a agente do FBI Sarah Ashburn com a destreza de quem já se acostumou a fazer blockbusters. Workaholic inveterada e sem vida pessoal, a personagem leva consigo o estereótipo de mulher solteira e infeliz, como em muitas outras comédias. Assim, traduz e alimenta um pensamento sexista. E mesmo saindo dessa discussão de gênero, o mais do mesmo cansa por si só.

    Na trama, o desempenho profissional de Sarah a leva a ser escalada para resolver um caso que pode resultar em sua promoção. Quando chega à Boston, conhece a dona do pedaço, Shannon Mullins. Sem dúvida, a personagem interpretada por Melissa McCarthy é responsável por grande parte da graça do filme: seus métodos duvidosos para conseguir informações e os hábitos boêmios chegam ao escracho, uma boa saída para comédias clichês quando usado em doses homeopáticas.

    Entre os hábitos bizarros da policial está o de guardar um arsenal de armas na geladeira por medidas de segurança. As passagens nas quais Mullins resolve suas questões na base de palavrões e ameaças exageradas também arrancam risos. A atriz soube dosar a afetação e, fazendo um tipo "sério", deixou as cenas serem engraçadas.

    Outro rosto conhecido em As Bem Armadas é o de Marlon Wayans, da saga Todo Mundo em Pânico. O ator interpreta um agente do FBI interessado pela personagem de Bullock. Seu personagem não tem o próprosito de fazer rir, surge apenas para dar suporte às protagonistas. Será difícil dissociar sua imagem da série de filmes de gosto duvidoso. Quase impossível levar sua atuação minimante a sério.

    Como um blockbuster feito sob medida para agradar toda a família, As Bem-Armadas tem seus momentos de clichê extremo. Mas uma parte específica poderia ter sido poupada: quando Sarah e Mullins dançam de forma empolgada no bar. Digno de muita vergonha alheia.

    Permeado por passagens desnecessárias apenas para cumprir o protocolo, mas com algumas boas tiradas e roteiro ágil, a comédia cumpre seu papel de buscar a audiência e entretê-la até o final. Mesmo assim, não chega a ter nada de extraordinário para ficar acima da média.