cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    CONTRA O TEMPO (2011)

    Mais do que sci-fi convencional, filme de Ducan Jones faz referências a <em>O Vingador do Futuro</em> <br />
    Por Celso Sabadin
    26/09/2011

    Dar a vida pela Pátria é uma das baboseiras que os exércitos de todo o mundo colocam nas cabeças de seus soldados. Faz parte da profissão. Agora, morrer pelo seu país, ressuscitar, morrer de novo, ressuscitar de novo e assim por diante, quantas vezes forem necessárias, aí já é um pouco demais. É contra esta situação que o militar Stevens (Jake Gyllenhaal) se revolta ao saber que, sem sequer ser consultado, está fazendo parte de um experimento ultrassecreto do governo americano.

    Trata-se de um projeto futurista capaz de manipular o tempo e fazer de Stevens uma espécie de agente-cobaia, que será arremessado numa situação de extremo perigo oito minutos antes que o pior aconteça. Caso não consiga evitar a tragédia anunciada, ele terá uma nova chance de mais oito minutos, e desta forma sucessivamente até cumprir sua missão, morrendo quantas vezes for preciso. Haja obsessão!

    A trama, atrativa e bem elaborada, foi escrita por Ben Ripley, um jovem roteirista que após escrever os capítulos 3 e 4 de A Experiência (lançados direto em DVD) faz em Contra o Tempo sua estreia cinematográfica. Dirigido pelo inglês Duncan Jones, o filme é intrigante e inteligente. Numa primeira leitura, trata-se de uma boa ficção científica que remete aos melhores trabalhos do escritor Phillip K. Dick.

    Porém, há mais: a subtrama do homem oprimido lutando contra um sistema desumanamente asséptico (afinal, é uma coprodução com a França…) aliada a um tênue, mas importante, fio condutor romântico que multiplica a motivação do protagonista fazem de Contra o Tempo algo mais que uma ficção científica convencional. É possível resvalar em referências como Os 12 Macacos, O Vingador do Futuro e até mesmo o clássico pacifista Johnny Vai à Guerra, entre várias outras. O que não torna o filme menos original. Isso sem falar da ótima interpretação de Vera Farmiga, com seus enormes olhos expressivos.

    Com tudo isso, o espectador mais exigente nem reclamará muito das explosões “virtuais” demais, onde fica claro que os efeitos especiais não são exatamente de primeira linha. Não importa. Contra o Tempo tem muito mais a mostrar que explosões terroristas. Basta ver de olhos bem abertos.