cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    LUGARES ESCUROS

    Suspense não repete o mesmo fôlego de Garota Exemplar
    Por Pedro Tritto
    18/06/2015

    Não importa se você gostou ou não de Garota Exemplar, suspense baseado no livro de Gillian Flynn e estrelado por Ben Affleck e Rosamund Pike, não há como negar que Lugares Escuros, segunda adaptação de uma obra da autora norte-americana, decepciona em relação ao longa dirigido por David Fincher.

    Verdade seja dita: o filme está longe de ser uma tragédia, pois possui um bom elenco, com Charlize Theron mais uma vez se destacando como uma mulher de personalidade forte, e também tem uma boa história que envolve mistério, assassinato, segredos de família, cultos satânicos, ou seja, elementos que prendem a atenção do espectador.

    No entanto, o diretor Gilles Paquet-Brenner não demonstra a mesma habilidade de Fincher na hora de comandar essa boa história. Brenner até se esforça, pois demonstra segurança e agilidade na hora de conduzir o elenco, que ainda conta com Nicholas Hoult (Mad Max: Estrada Da Fúria) e Chloë Grace Moretz (Se Eu Ficar), mas a verdade é que o filme, por quase duas horas, apresenta-se de uma maneira convencional, sem muitas novidades e sem a energia necessária para um suspense desse porte.

    Com diálogos longos e pausados demais, a trama é desenvolvida de forma burocrática e previsível. Brenner se preocupa demais em passar os detalhes que cercam o principal mistério da história. É claro que em um filme como esse os detalhes são fundamentais, mas, no caso de Lugares Escuros, há uma preocupação excessiva nesse sentido, fazendo com que o longa fique repetitivo demais.

    Situado em uma cidade agrícola no estado do Kansas, nos Estados Unidos, a história acompanha Libby Day (Theron), uma mulher que ficou traumatizada após ver um massacre que culminou com a morte de sua família quando ainda era criança. Acreditando que o episódio foi um trabalho de um culto satânico, ela testemunha contra o seu próprio irmão, Ben, no tribunal.

    25 anos depois do assassinato, Libby ainda não superou o que aconteceu e sofre com alguns problemas financeiros para sobreviver. Tudo começa a mudar quando ela é chamada por Lyle (Hoult) para fazer parte do The Kill Club, um grupo de investigadores amadores que tentam resolver crimes não resolvidos.

    Os rapazes acreditam que Ben, que ainda está preso, seja inocente e que Libby pode provar a inocência do rapaz. Afim de ajudar seus novos amigos, ela começa a desenterrar memórias dolorosas e começa a perceber que seu passado pode mesmo não ser exatamente o que parece.

    Para compensar alguns dos problemas, a escolha de Theron como protagonista foi acertada. A atriz, que colocou o novo Mad Max no banco do carona e se tornou o maior destaque de Estrada da Fúria, mais uma vez demonstra sua personalidade ao apresentar as nuances de uma moça assombrada pelo sentimento de culpa/ E isso é bom,  pois faz o espectador torcer e criar uma certa empatia pela personagem.

    Pena que isso não seja suficiente para manter totalmente o foco na história (algo que acontece com Garota Exemplar, mesmo sendo mais longo). Por mais que a atuação do resto do elenco e a resolução do caso sejam satisfatórias, é perceptível que Lugares Escuros não assume uma identidade própria, o que deixa as coisas mais confusas. Não sabemos se esse é um thriller social, sobre trauma, satanismo ou se simplesmente é apenas um suspense para descobrir quem é o verdadeiro culpado.