cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    DEADPOOL 2

    Por Daniel Reininger
    14/05/2018

    A Fox falou muito sobre fazer um filme do X-Force, mas por anos não sabia como introduzir o lado mais combatente dos X-Men nas telonas. Aí Deadpool foi um sucesso e fazer uma sequência do filme do mercenário e ainda criar uma introdução para o grupo mutante parecia uma boa ideia. E é mesmo!

    Isso garante uma sequência que sai da mesmice, amplia o universo dos mutantes, garante boas risadas e ótimas cenas de ação. Cable é animal, e mostra que Josh Brolin é capaz de elevar o nível de qualquer personagem, não só o de Thanos. Dominó (Zazie Beetz) funciona bem e seu poder de "ter sorte" funciona bem nas telas. E, curiosamente, o roteiro vai além das piadas e cenas de ação e permite que os personagens tenham um pouco mais de profundidade do que vimos acontecer no primeiro filme.

    Na trama, Wade Wilson (Ryan Reynolds) voltou a viver com o amor de sua vida, Vanessa (Morena Baccarin), e se tornou um herói internacional à caça de diversos criminosos ao redor do mundo. Quando um combatente do futuro volta para acertar as contas com um vilão em potencial, os caminhos de Deadpool e de Cable (Josh Brolin) se cruzam.

    O roteiro é simples, mas bem amarrado. As cenas de ação são muito bem filmadas e o humor é constante, embora o timing do primeiro seja melhor nesse quesito. A violência diminuiu um pouco, apesar de continuar presente, mas as lutas estão ainda maiores e melhores. O longa continua como uma boa comédia de ação, com direito a participações especiais, conversa com os espectadores e zoeiras com concorrentes.

    Outro lado bom é que as atuações continuam convincentes, Morena está bem no papel de Vanessa, embora ela não consiga causar o mesmo impacto do primeiro longa. Ryan Reynolds é Deadpool, simples assim. O longa ainda tem algumas boas cenas com coadjuvantes. Brianna Hildebrand merecia mais espaço como Míssil Adolescente Megassônico. Stefan Kapicic continua divertido como o paladinesco Colossus e Zazie Beetz manda muito bem como Dominó.

    Interessante dessa sequência é que o filme quase consegue evitar o confronto final épico que vemos em todos os longas do tipo. A última luta é a maior do filme e possui muitos personagens envolvidos e bastante ação, mas está longe de ser algo gigantesco como aconteceu no primeiro filme, cujo final mudava demais o tom da narrativa. Ponto para o diretor David Leitch, que mostra que Atômica e De Volta Ao Jogo não foram acertos por acaso.

    Se você, como eu, é fã de X-Men, vai adorar momentos que lembram muito combates dos quadrinhos e desenhos animados, sem falar na participação de um vilão muito interessante e representado da maneira correta, finalmente. E se você leu X-Force ou histórias com eles, certamente vai se empolgar ao ver o grupo em ação.

    Mais focado na ação do que o primeiro, Deadpool 2 mantém a zuera como parte integrante do roteiro, que toma certas liberdades para fazer as coisas fluírem, é verdade, mas é algo consciente. Embora o humor não esteja tão redondo e, de fato, seja menos adulto do que o original, o filme acerta a mão em outros pontos que deixaram a desejar anteriormente e por isso é, no mínimo, tão divertido e interessante quanto o primeiro. E dizer que é até melhor não seria um exagero.

    Então vá ao cinema e aproveite a pancadaria, só lembre de deixar as crianças em casa dessa vez.