cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    FÉRIAS FRUSTRADAS

    Comédia traz humor afiado e trama moderna
    Por Pedro Tritto
    10/09/2015

    Quando foi confirmada a produção de um novo Férias Frustradas, logo se imaginou um filme totalmente nostálgico e parecido com a história original da família Griswold. É verdade que a nova versão da comédia, agora dirigida por John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein, realmente traz certo saudosismo, mas também consegue modernizar a história e divertir com o seu humor afiado.

    O longa não é um remake e sim uma continuação, afinal Rusty (Ed Helms), filho do casal vivido por Chevy Chase e Beverly D'Angelo no original, resolve repetir com sua nova família a mesma viagem até o parque Walley World, que não deu muito certo quando era mais jovem.

    Com o emprego de piloto em uma pequena companhia aérea, Rus é casado com Debbie (Christina Applegate) e tem dois filhos. Ele percebe que precisa sair da rotina para poder reacender as chamas de sua união. Além disso, ele pretende fazer com que Kevin (Steele Stebbins), seu filho caçula, pare de fazer bullying com o irmão mais velho, James (Skyler Gisondo).

    A partir daí, é possível reconhecer elementos que fizeram do primeiro Férias Frustradas um filme divertido. Está lá até a música Holyday Road de Lyndsey Buckingham, famosa pela cena da estrada em que uma linda mulher aparece em um carro vermelho e acena para o pai da família. Sem falar da participação de Chevy Chase e Beverly D'Angelo, um dos pontos altos do longa.

    Para quem nunca viu o original, a grande sacada do novo filme é justamente saber mesclar a essência do primeiro com uma história atual e divertida. A nova obra não tenta apagar ou reescrever o clássico e não é preciso assistir o primeiro para entender a maioria das piadas. O novo filme funciona, sem precisar tentar substituir o original.

    É fato que o primeiro Férias Frustradas contém momentos marcantes (quem se lembra da tia Edna e o que acontece com ela?). No entanto, o longa de 2015 é capaz de divertir tanto quanto o antecessor e criar seus próprios grandes momentos. No final das contas, o longa é diversão garantida e é isso que importa.