cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    HEDWIG - ROCK, AMOR E TRAIÇÃO

    Por Celso Sabadin
    22/05/2009

    Certamente você já viu muitos filmes baseados em livros, em peças de teatro ou em histórias em quadrinhos. Mas que tal um filme baseado num show de travesti? Assim é Hedwig - Rock, Amor e Traição, produção independente norte-americana que foi uma das preferidas do público, na recente Mostra Internacional de São Paulo.

    A história conta a sofrida trajetória de Hedwig (John Cameron Mitchell), transexual alemão que desde garoto era apaixonado pela música americana, embora sua mãe preferisse o isolamento socialista da então Alemanha Oriental. Para transpor o Muro de Berlim, Hedwig se casa com um sargento do exército americano, iniciando assim sua atribulada vida de transformista e cantor alternativo.

    O personagem Hedwig é uma criação do próprio John Cameron Mitchel (que, além do papel principal, também roteiriza e dirige o filme) e do compositor Stephen Trask (visto aqui no papel de Skszp). Ambos começaram a encenar performances num bar de drag queens em Nova York e depois conseguiram levar o show para teatros off-broadway. O sucesso em palcos alternativos chamou a atenção da produtora cinematográfica Killer Filmes (a mesma de Felicidade e Meninos Não Choram) que convidou Mitchell e Trask a levarem o espetáculo para as telas.

    A crítica gostou do filme mais que o público: seu pequeno orçamento de US$ 6 milhões não retornou nas bilheterias norte-americanas, mas Hedwig... ganhou vários prêmios internacionais, incluindo o Teddy Bear no Festival de Berlim (premiação paralela dedicada a filmes gays) e dois troféus em Sundance.

    Hedwig - Rock, Amor e Traição não esconde suas origens teatrais. A história, contada por meio de vários flashbacks, tem início, meio e fim ambientados sobre palcos. É praticamente um grande show do transformista Hedwig cujo tema principal é a própria vida. Mesmo assim, o filme tem força e vigor para prender a atenção e a emoção das platéias abertas a experiências menos tradicionais.

    Direcionado a um público bastante específico, Hedwig - Rock, Amor e Traição merece ser conferido.

    12 de novembro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. celsosabadin@cineclick.com.br