cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    JOGO DE AMOR EM LAS VEGAS

    Por Angélica Bito
    27/06/2008

    Cameron Diaz e Ashton Kutcher podem até tentar investir em outros gêneros cinematográficos, mas os atores sempre encontram bons terrenos para trabalhar em comédias. E, finalmente, um filme reúne os dois: Jogo de Amor em Las Vegas.

    Cameron e Kutcher interpretam Joy e Jack, respectivamente. Eles moram em Nova York, mas nunca se cruzaram na cidade graças ao estilo de vida totalmente diferente que levam. Ela trabalha na bolsa de valores de Nova York; ele é marceneiro da companhia do pai. Quando ambos têm decepções, recorrem ao mesmo lugar para afogarem as mágoas: Las Vegas, capital norte-americana da farra.

    Lá eles se encontram e, depois de muitos drinques, casam. Até aí tudo bem, uma anulação sempre é possível, mas, na manhã seguinte do casamento, Jack ganha US$ 3 milhões num caça-níquel e, por conta do acordo matrimonial, teriam, na teoria, de dividir o valor. Mas, quando vão à justiça para tentar contornar o problema, o juiz simplesmente define que eles terão de viver seis meses sob o mesmo teto (o dele, no caso, já que ela acabou de terminar um noivado) para tentar fazer o relacionamento funcionar. Já está na cara que os dois vão se infernizar para que o outro desista do acordo, mas o inesperado (só para eles, porque o espectador já sabe o que vem) acontece.

    A premissa do longa pode até ser interessante e, com certeza, a comédia não deve desagradar aos fãs da dupla, mas, no final, ela não passa de uma seqüência de situações idiotas - muitas vezes, sem graça alguma -, permeadas por um roteiro previsível, atuações rasas e uma direção pesada, assinada pelo experiente diretor de séries de TV Tom Vaughan.

    Jogo de Amor em Las Vegas é tão óbvio que traz todos os elementos que formam uma comédia romântica: o atrito inicial entre os protagonistas - que, eventualmente, leva ao envolvimento afetivo ao longo do filme -, os melhores amigos engraçadinhos, as situações constrangedoras (no caso, típicas de comédias com o par de atores) e um final feliz. Se você está cansado do mesmo, fuja.