cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    JOGOS MORTAIS IV

    Por Livia Brasil
    26/10/2007

    Quando vi Jogos Mortais III, acreditei que a série de terror não poderia ficar pior, mas estava enganada. O roteiro de Jogos Mortais IV foge do padrão criado na trilogia, abrindo um abismo entre os demais, principalmente em relação ao primeiro, de 2004. É simples explicar esta diferença: os roteiristas não são os mesmos. Leigh Whannell, responsável pelos anteriores em parceria com James Wan (em Jogos Mortais e Jogos Mortais III) e Darren Lynn Bousman (em Jogos Mortais II), cedeu sua vaga para os inexperientes Patrick Melton e Marcus Dunstan.

    Jogos Mortais IV acompanha dois oficiais do FBI especialistas em traçar perfis psicológicos de criminosos. Eles ajudam o veterano detetive Hoffman (Costas Mandylor) a desvendar os crimes do serial killer Jigsaw (Tobin Bell). O comandante Rigg (Lyriq Bent), da SWAT, é seqüestrado e arrastado para um jogo mortal. A dupla do FBI entra imediatamente em ação e passa a seguir uma trilha de cadáveres deixada pela cidade. As pistas os levam a Jill, que era casada com John Kramer antes de se tornar um assassino.

    A única característica que se manteve intacta foi o fato do enredo mostrar diversas histórias que se cruzam no decorrer do filme, sem esquecer dos flash-backs. Porém, a dupla exagerou na dose, criando um dos filmes mais confusos e sem sentido na história do cinema de horror.

    O espectador se perde na enorme quantidade de armadilhas e assassinatos, sem saber se o filme está no passado - seja recente ou mais distante - ou se os acontecimentos são relacionados ao presente. Nas produções anteriores, essa técnica é utilizada para criar grandes reviravoltas na história até chegar o momento do grand finale; tanto que essa criatividade levou a série a ser considerada uma inovação no gênero. Desta vez, Jogos Mortais IV termina sem a menor pretensão de causar impacto. Pelo contrário, passa despercebido.

    Mesmo assim, o filme possui seus pontos positivos. Os fãs vão adorar conhecer os detalhes da história de Jigsaw, ou melhor, John Kramer, descobrindo o verdadeiro motivo que o levou a se transformar em um assassino em série. Outra razão para ir ao cinema é conferir a direção de Darren Lynn Bousman. Quem gostou da linguagem visual repleta de cortes e efeitos de edição de Jogos Mortais II e III, pode ficar tranqüilo, pois o diretor manteve a mesma linha. Pelo menos esteticamente, Jogos Mortais IV continua seguindo o mesmo padrão de qualidade. As armadilhas são sangrentas e perturbadoras, mas em menos quantidade que o terceiro. Mesmo por que seria difícil superar o banho de sangue que lavou as telas do cinema nos longas anteriores.

    De forma geral, a impressão é que as boas idéias acabaram e Jogos Mortais IV se tornou um filme de terror comum que, se não fosse continuação de um grande sucesso, poderia ser lançado diretamente em DVD.