cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    LADY BIRD - É HORA DE VOAR

    Por Thamires Viana
    14/02/2018

    Passar da adolescência para a vida adulta não é nada fácil. Todo mundo já passou por isso e não há uma pessoa que não tenha enfrentado os desafios de crescer. Indicado ao Oscar em cinco categorias, incluindo de Melhor Filme, Lady Bird - É Hora De Voar chega como uma grande surpresa e aborda o assunto de maneira divertida e recheado de boas lições de moral. 

    Greta Gerwig faz sua estreia como roteirista e diretora no longa que traz Saoirse Ronan (Brooklin) como Christine "Lady Bird", uma jovem de 17 anos que possui uma relação conturbada com a mãe, vivida pela atriz Laurie Matcalf (Ela É A Poderosa), e sonha em cursar a faculdade bem longe de Sacramento, Califórnia, sua cidade natal.

    Escolhendo para si mesma o apelido de "Lady Bird" - "Passarinha" em tradução livre -, a adolescente é como qualquer outra da idade. Por vezes irritante e petulante, ela acaba se tornando carismática se levarmos em conta que nessa idade muitos jovens agem dessa forma. Atire a primeira pedra quem nunca bateu a porta do quarto em ato de rebeldia. Dá para se reconhecer em alguns momentos, vai por mim.

    Seu desespero e ansiedade para seguir a independência e se ver livre dos sermões da mãe, são acalmados com a boa relação com o pai Larry, personagem de Tracy Letts (Álbum De Família), as conversas com a melhor amiga Julie (Beanie Feldstein) e a descoberta da primeira paixão.

    A personalidade forte faz a menina ganhar asas - desculpe o trocadilho - durante o decorrer da comédia graças a magnífica interpretação da atriz de 23 anos. Não a toa, Ronan é uma das indicadas ao Oscar de Melhor Atriz e fez por onde para garantir sua terceira indicação à premiação.

    O roteiro é certeiro, redondo e sem exageros. Gerwig se inspirou em sua própria adolescência para escrevê-lo e sua dedicação não desaponta. Sendo um dos nomes mais famosos do Mumblecore (movimento do cinema independente) e estrela de filmes como Frances HaLola Contra o Mundo, a moça colocou em Lady Bird sua experiência pessoal de ter vivido em Sacramento e estudado em colégios católicos.

    Misturado com uma talentosa direção - que rendeu à moça a indicação do Oscar de Melhor Direção -, o filme é uma vida real retratada nas telonas. São cenas simples, mas que trazem diálogos que soam como uma conversa familiar em um almoço de domingo, deixando o espectador "em casa" e familiarizado com todo o enredo.

    No quesito visual, o longa é um destaque de cores vivas e enquadramento detalhado. A personagem está sempre com algum tom claro de rosa, seja no cabelo, no gesso do braço ou no vestido escolhido para o baile. Talvez a escolha represente uma ingenuidade e sutileza da moça que contrastam com seu jeito rebelde que promete ir embora quando a independência chegar.

    Lady Bird - É Hora De Voar é um passar de tempo delicioso e divertido. É ver em uma grande tela pedaços de uma realidade vivida por quem passou pela adolescência sem saber direito qual caminho seguir. É sentir saudades do aconchego da casa dos pais e se dar conta de que em algum momento da vida todos fomos jovens e um pouquinho perdidos.