cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    LOUCAS POR AMOR, VICIADAS EM DINHEIRO

    Por Nathália Salomoni
    04/04/2008

    Dinheiro vicia. Quem tem pouco, sempre corre atrás. E quem tem muito, quer mais. Prova do quanto ele atrai os olhares de quase todo mundo é a quantidade de filmes que envolvem grandes roubos e golpes, como Onze Homens e um Segredo - que pelo sucesso de bilheteria teve duas continuações. A comédia Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro segue a linha do filme protagonizado por astros como George Clooney e Brad Pitt, mas ao invés de vários homens roubarem um cassino, três mulheres aplicam o golpe em um banco.

    Como todo grande roubo precisa de um motivo, no longa de Callie Khouri, Bridget Cardigan (Diane Keaton, de Alguém Tem que Ceder) é surpreendida ao saber que está prestes a perder sua confortável vida, quando seu marido Don (Ted Danson, de Feita por Encomenda) é demitido do trabalho. Desesperada, ela sai em busca de emprego e consegue apenas uma vaga de servente no banco da Reserva Federal americana. Revoltada, ela se une às companheiras de trabalho Nina (Queen Latifah, de A Casa Caiu), uma mãe solteira com dois filhos para sustentar, e Jackie (Katie Holmes, de A Filha do Presidente), uma mulher exuberante e livre que não tem nada a perder, para planejar um roubo à empresa.

    O golpe é muito bem planejado. O interessante é que durante meses elas roubam o banco sem que nada aconteça e juntam a maior grana, até que enfrentam o grande problema de quem ganha dinheiro fácil: continuam querendo mais. Acontece então o mais provável: alguma coisa dá errado!

    As três estão muito bem entrosadas no papel. Famosas nos últimos tempos por comédias água-com-áçucar, a veterana Diane, a espalhafatosa Queen e a menininha Katie conseguem segurar a comédia e a amizade entre elas convence os espectadores.

    Loucas por Amor Viciadas em Dinheiro é divertido e faz todo mundo sair da sala querendo juntar - roubar é antiético, pessoal - seus milhões.