cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    MACBETH: AMBIÇÃO E GUERRA

    Justin Kurzel conduz intensa e sangrenta adaptação de Shakespeare
    Por Iara Vasconcelos
    21/12/2015

    A adaptação de Justin Kurzel para a peça teatral do dramaturgo inglês William Shakespeare é intensa, sangrenta e conta com uma atuação impecável de Michael Fassbender e da estrela francesa Marion Cotillard na pele do ambicioso casal que queria dominar o reino da escócia.

    O enredo acompanha Macbeth, general do exército escocês que arma um plano mortal contra seu rei após um grupo de bruxas prever que ele será o novo monarca. Pela incapacidade de Lady Macbeth em ter filhos, logo ele sente seu reinado ameaçado e fica disposto a tudo para preservá-lo.

    A trama não deixa dúvidas sobre a personalidade megalomaníaca do protagonista, que claramente passa de um guerreiro justo para um carrasco tão temido quanto odiado pelos súditos. A diferença é que nessa versão, a esposa de Macbeth se mostra como mais uma vítima de sua ganância do que como uma figura manipuladora, depois que percebe a insanidade do marido. A atuação de Fassbender é visceral e intensa e a química entre ele e Cottilard é bastante visível.

    O cineasta fez questão de usar e abusar dos efeitos de câmera lenta nas cenas de batalha, que de tão sangrentas deixariam Quentin Tarantino com inveja. O visual realista dos embates empoeirados só não impressiona mais do que a bela paisagem escocesa, que se mostra imponente e parte integrante da narrativa.

    Kurzel, que também dirige a adaptação do game Assassin's Creed, previsto para 2016, soube mesclar bem os elementos sobrenaturais com o estado de perturbação mental do personagem, nos levando a questionar se suas ações são fruto de uma força paranormal ou de um surto psicótico.

    As cenas são quase todas tomadas por uma densa neblina ou por uma poeira vermelha, criando uma aura onírica que contribui para a ambiguidade do estado mental de Macbeth, mostrando um cuidado estético e uma direção acertada de Kurzel.

    As duas palavras acrescentadas ao título em português, Ambição e Guerra, resumem bem a essência de Macbeth. Eletrizante do começo ao fim, o filme nos brinda com um visual estupendo e faz jus à grandiosidade da obra de Shakespeare.