cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    MINHA SUPER EX-NAMORADA

    Por Livia Brasil
    01/09/2006

    Esqueça as histórias nas quais mocinhas e galãs são felizes para sempre. Minha Super Ex-Namorada é uma comédia romântica que foge do clichê que os filmes do gênero tendem a seguir, chegando quase a satirizá-los. Terminar relacionamentos é um passo difícil para qualquer um, agora imagine partir o coração de uma mulher com superpoderes. O resultado são cenas engraçadas e catastróficas que, se retirarmos a fantasia e a ficção, iremos encontrar situações semelhantes em muitos confrontos amorosos. O longa foi dirigido por Ivan Reitman (Os Caça-Fantasmas e Um Tira no Jardim de Infância) e escrito por Don Payne, produtor e colaborador de Os Simpsons.

    Matt Saunders (Luke Wilson) é um arquiteto solitário que tem dificuldade em se relacionar com as mulheres, até conhecer Jenny Johnson (Uma Thurman). Já no primeiro encontro, Matt acha que a bela tem alguns problemas de personalidade, mesmo assim, acredita que vale a pena investir em um possível relacionamento. Jenny resolve revelar ao namorado que, na verdade, ela é uma super-heroína, mas, com a surpreendente revelação, ela se torna uma mulher possessiva, carente e ciumenta ao extremo. Matt resolve, então, terminar o namoro. E o que seria apenas um problema passageiro torna-se um verdadeiro inferno para ele, já que Jenny é a G-Girl e passa a usar todo o seu tempo para destruir a vida do ex.

    Provavelmente, os fãs dos grandes super-heróis vão torcer o nariz diante das situações irônicas e satíricas, proporcionadas pelo humor de Ivan Reitman, e para G-Girl, uma heroína neurótica, com desvios de personalidade. Mas não há como negar que Minha Super Ex-Namorada é hilário. Um tipo de humor que estava faltando nos cinemas, sem piadas escrachadas de péssimo gosto.

    Luke Wilson dá o tom cômico certo, enquanto Uma Thurman surpreende em seu personagem. Afinal, não estamos acostumados a vê-la nesse tipo de papel. Sempre que penso na atriz, lembro-me da violência dos filmes de Quentin Tarantino, como Kill Bill e Pulp Fiction. Mas Uma Thurman mostra em Minha Super Ex-Namorada que pode ser uma atriz versátil, passando de uma mulher insegura e sem graça como Jenny para uma heroína forte e sensual como G-Girl num piscar de olhos.

    O desfecho da história é previsível e nem de longe pode ser considerado um filme brilhante. Alguns podem até dizer que Reitman parou no tempo - mais especificamente na década de 80 -, principalmente em relação aos efeitos visuais. Mas tudo isso se ajusta ao contexto do filme, ao formato caricato de um relacionamento. Sua direção é concisa e consciente, dando o ritmo certo ao filme que funciona como um excelente entretenimento, com risos e gargalhadas garantidas.