cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    MONSTROS VS. ALIENÍGENAS

    Por Angélica Bito
    03/04/2009

    Em Marte Ataca! (1996), Tim Burton fez uma sátira colorida e cheia de estilo dos filmes que imaginavam um contato dos terráqueos com seres extraterrestres, brincando também com as teorias de conspiração que envolvem o governo norte-americano. Cheio de referências a obras como Contatos Imediatos de Terceiro Grau (1977), ET - O Extraterrestre (claro), Godzilla, O Monstro da Lagoa Negra (1954), Attack of the 50 Foot Woman (1958), o próprio filme de Burton e até Um Tira da Pesada, a Dreamworks aposta suas fichas em uma sátira similar: Monstros Vs. Alienígenas.

    Dirigido por Rob Letterman (O Espanta Tubarões) e Conrad Vernon (Shrek 2), o filme se passa numa época pouco definida, mas bem que poderia ser nos anos 50 pelas casinhas planejadas e todo esse cenário tão relacionado ao American Way Of Life, conceito surgido nessa época. Susan (voz de Reese Witherspoon na versão original) é uma moça que está prestes a casar com o Homem do Tempo da TV local. Mas um meteoro que cai sobre ela no dia do casamento faz com que ela vire uma mulher gigante. Trancada pelo governo norte-americano ao lado do doutor Barata (na versão original, ele é dublado por Hugh Laurie, mais conhecido como ser o dr. House da série que leva seu nome, mostrando o sotaque inglês que supre na adorada série de TV), a divertida geléia sem cérebro Bob (voz de Seth Rogen), o simpático Insetossauro e o Elo Perdido, forma com eles, sem querer, o grupo que defende a terra de uma invasão comandada pelo maléfico extraterrestre Gallaxhar (voz de Rainn Wilson na versão original).

    O roteiro brinca com os clichês desenvolvidos principalmente nos filmes B sobre monstros e extraterrestres. De uma forma divertida, Monstros Vs. Alienígenas satiriza principalmente com o cinema norte-americano e o próprio American Way Of Life. O divertido presidente norte-americano, que toca no teclado o tema de Um Tira da Pesada para se comunicar com os invasores de outro planeta, é como uma versão exageradamente pateta do líder que acaba se despedir da Casa Branca.

    Com personagens divertidos, bem-delineados psicologicamente, além de uma animação de qualidade incontestável, Monstros Vs. Alienígenas é mais uma prova da necessidade de investimento em animações que consigam conquistar também o público adulto - especialmente pelas referências cinematográficas que traz -, não somente o infantil, quebrando paradigmas referentes ao cinema de animação que já vêm sendo derrubados a alguns anos no cinema mainstream.

    A tecnologia atual ainda permite que os estúdios possam desenvolver filmes que tenham a possibilidade de serem exibidos em 3D, como é o caso de Monstros Vs. Alienígenas, que pode ser assistido desta forma nas salas equipadas com esta tecnologia, que vem crescendo cada vez mais também no mercado brasileiro. E, neste caso, é possível dizer que a tecnologia faz diferença, enriquecendo (mas não é indispensável) a experiência de assistir ao longa-metragem. Assim, Monstros Vs. Alienígenas concilia essa tendência de se abrir cada vez o nicho de mercado das produções do gênero - proporcionando a famigerada "diversão para todas as idades" -, mas também supre a necessidade do mercado do entretenimento de absorver de forma voraz as novas tecnologias, que, no caso do cinema atual, está também na exibição em 3D.