cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O GRANDE TRUQUE

    Por Livia Brasil
    02/11/2006

    O Grande Truque é um filme repleto de mágica em todos os sentidos. Com certeza, não há um meio mais apropriado do que a tela do cinema para transmitir a fantasia que os grandes ilusionistas passam para a sua platéia. Dirigido por Christopher Nolan, o filme traz de volta a parceria de sucesso com o ator Christian Bale, de Batman Begins, ao lado de Hugh Jackman, o Wolverine de X-Men, O Filme.

    Um truque de mágica pode parecer simples para os leigos, mas não é bem assim, principalmente na virada do século, em Londres, período em que é ambientada a história. O filme explica que são necessários três atos para constituir uma boa mágica: A Promessa, no qual o mágico apresenta um objeto comum que, geralmente, não é; A Virada, em que esse objeto comum será transformado em algo extraordinário, momento em que todos tentam descobrir o segredo; e O Grande Truque, no qual ocorre a mudança e a grande surpresa para a platéia que sempre fica estarrecida com o resultado. E é nessa mesma seqüência que os fatos vão acontecendo no filme, com um final surpreendente.

    O longa possui três períodos que se cruzam: um presente e dois passados distintos. Alfred Borden (Christian Bale) é o rival direto do mágico Robert Angier (Hugh Jackman). Já na primeira cena, acompanhamos a morte misteriosa de Anguie. Borden é o principal suspeito e é preso por isso. Na prisão, o mágico recebe o diário do rival e passa a conhecer melhor a vida e os truques do falecido. As cenas vão acontecendo enquanto lê o diário, como um flash-back, sempre querendo roubar e destruir a mágica do outro, tudo de uma maneira quase infantil. Até que a obsessão passa a falar mais alto e mandar nas ações de cada um, resultando em mortes e perdas.

    Christopher Nolan é um ótimo nome para criar e dirigir um roteiro tão complexo, de forma que não se torne confuso ao espectador. As histórias se cruzam em uma linha do tempo peculiar, cheia de flash-backs. Isso poderia ter destruído o bom argumento do filme, mas, com a direção de Nolan, tornou-se um grande atrativo, sua mágica pessoal. Assim como os grandes ilusionistas desviam nossa atenção para esconder o mecanismo do truque, o cineasta utiliza a própria trama para esconder seus segredos. Para isso, uma boa iluminação se faz necessária, criando um clima de suspense e mistério.

    Christian Bale (Psicopata Americano) e Hugh Jackman (Van Helsing - O Caçador de Monstros) mostram que mereceram, com louvor, o papel de protagonistas. Suas performances aumentam ainda mais o suspense, especialmente sobre quem seria o bandido ou o mocinho do filme. David Bowie está irreconhecível como o cientista Nikola Tesla, o que nos remete à qualidade da maquiagem criada.

    O Grande Truque é digno de ser visto e revisto, proporcionando admiração em todos os momentos, seja pela poderosa direção de arte ou pela trama do longa. Isso prova que não há um título mais apropriado para o filme que nos revelará ser, realmente, um grande truque de mágica e efeitos especiais. Portanto, não acredite em tudo que vê.