cineclick-logo
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • Fale Conosco|Política de Privacidade
    © 2010-2020 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O QUE OS HOMENS FALAM

    Bons atores e diálogos marcam comédia inteligente
    Por Cristina Tavelin
    19/05/2014
    6/10

    O QUE OS HOMENS FALAM

    12
    Comédia Dramática

    Recheado de grandes nomes do cinema espanhol e argentino - Javier Cámara (Fale Com Ela), Ricardo Darín (O Segredo Dos Seus Olhos), Eduard Fernández (A Pele Que Habito) - O que os Homens Falam surge como uma comédia inteligente sobre anseios, medos e peculiaridades de alguns amigos na faixa dos 40 e tantos anos. Há ainda um tema que permeia todas as conversas: a traição.

    O longa coescrito e dirigido por Cesc Gay, natural de Barcelona, joga luz ao cotidiano de seus personagens e constrói a narrativa por meio de diálogos bem elaborados e cheios de ironia. Busca fazer um quadro dessa geração onde os homens - até os machistas - precisam entender de vez que não há mais espaço para o papel de dominador. Para desenvolver essa ideia, a trama se desenrola em torno de diversas histórias, capítulos de vidas entrelaçadas.

    Câmara, em mais uma boa atuação, dá vida a um personagem que deseja reatar com a esposa a qualquer custo. Seu monólogo ininterrupto revela uma figura centrada em si mesma e cheia de esperança no revival. Ao jorrar o discurso cheio de autopiedade, revela detalhes do prédio e da vizinhançao do ex-casal.

    Darín encarna um marido que segue a esposa pela desconfiança de traição. Para isso, senta-se no banco de um parque e aguarda o retorno da moça. Junto ao ator Luis Tosar, desenvolve um dos melhores diálogos do longa; o desfecho dessa parte é surpreendente, feito para refletir sobre os amores modernos.

    Para tratar das traições no ambiente de trabalho, Eduardo Noriega (Abra os Olhos) dá voz a uma figura interessada na garota do escritório. Tenta convidá-la para sair e, no decorrer da conversa, entende-se uma situação machista e irresponsável. Interessante notar o contraponto da consciência trazida pelas personagens femininas - entre elas, a encantadora Leonor Watling.

    A traição é abordada em todas as suas formas, mas sem apoiar-se num tom moralista, felizmente. Diferentes ângulos do tema exibem-se pela fala dos personagens e suas relações mais e menos complexas. Amigos, colegas de trabalho, namorados, amantes casuais: todos estão sujeitos à infidelidade.

    Outro ponto interessante está nas mudanças de níveis dos personagens. Como parte deles vive no mesmo prédio, uns estão em andares melhores do que os outros, em "níveis" mais elevados. Não que o diretor tenha planejado dizer algo com essa metáfora, mas a ideia coube perfeitamente à trama.

    Com bons atores e diálogos, O que os Homens Falam é uma boa pedida para se entreter e refletir na mesma proporção. Deixando de lado o final pouco criativo, soa bem interessante. Não chega a ser nenhum filme do porte de Branca De Neve para o cinema espanhol recente, mas, dentro de sua sutileza e estilo, tem bastante a agregar.