cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O ÚLTIMO CAÇADOR DE BRUXAS

    Potencial para divertido filme é desperdiçado
    Por Daniel Reininger
    28/10/2015

    O Ultimo Caçador De Bruxas tinha potencial para ser um divertido filme de fantasia e ação. Idealizado e estrelado por Vin Diesel (Velozes E Furiosos 7), que é fã do gênero e jogador de RPG inveterado, a premissa é interessante e o visual é animal, só que a história é mais do que batida e o filme está atolado de clichês, praticamente todos acharam um jeito de estarem presentes nessa produção, algo impressionante por si só. Embora o longa tenha bons momentos, é impossível não sair do cinema decepcionado.

    A trama acompanha Kaulder (Vin Diesel), guerreiro que conseguiu derrotar a poderosa Rainha Bruxa e dizimar seus seguidores, mas foi amaldiçoado com a imortalidade, separando-o para sempre de suas amadas mulher e filha. Oitocentos anos depois, Kaulder é a principal arma da humanidade contra as bruxas do mal. Quando um culto maligno age para vingar os anos de caçada, começa uma batalha épica que determinará a sobrevivência das duas raças.

    O longa começa com o assassinato de um dos aliados de Kaulder. Isso faz com que a primeira parte do filme se perca em uma longa e tediosa investigação para descobrir quem está por trás do ataque. Embora alguns momentos sejam interessantes, como a visita a um bar onde a magia é livre, seguida de uma caminhada em sonhos, a maior parte do tempo Kaulder está em busca de pistas sem muita conexão ou intimidando informantes mal construídos, cujos personagens são o ápice do clichê. Como resultado, a maior parte do filme parece um capítulo mediano de CSI feito para o Halloween.

    Não só os coadjuvantes são mal construídos, os personagens principais também são unidimensionais, inclusive Kaulder. Apesar disso, Diesel está confortável na tela, especialmente nas cenas de ação, e leva o filme nas costas, então é uma pena que seu personagem não seja melhor desenvolvido. Michael Kane (Batman - O Cavaleiro Das Trevas) está abatido, parece não estar lá por vontade própria (aliás, o que ele faz nesse filme?) e Elijah Wood (O Senhor Dos Anéis) tem um personagem bastante patético com reviravoltas ainda piores, mas a culpa não é só dele - sua atuação está dentro do padrão. Quem ajuda um pouco é Rose Leslie, a Ygritte de Game of Thrones, capaz de humanizar um pouco o longa, apesar de também não apresentar profundidade alguma.

    A diversão do filme está nas cenas de ação, especialmente quando a magia é usada de forma criativa. Diesel, não à toa, é um dos principais atores do gênero e fica claro o quanto ele adora ser um caçador de bruxas, enfrentando seres malignos com uma espada e uma 12. Visualmente, as cenas são bem feitas, com CGI decente. Além disso, o longa é capaz de apresentar um interessante submundo mágico na Nova York atual, elemento que poderia ter sido melhor explorado, mas aparece apenas na superfície da produção e poderia garantir momentos bem mais interessantes.

    O Último Caçador de Bruxas é até capaz de empolgar em alguns momentos, mas isso não significa que seja um bom filme. Diálogos cafonas e trama sem graça pesam mais do que as boas cenas de ação. O tom sério apenas piora a situação, afinal os clichês e momentos vergonha-alheia funcionariam muito bem num longa engraçado, cuja intenção fosse exatamente brincar com essas questões- não aqui. No final das contas, o trailer apresenta as cenas mais legais da produção, que é tão genérica que vai ser esquecida assim que o espectador sair do cinema.