cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    OITO MULHERES E UM SEGREDO

    Por Thamires Viana
    06/06/2018

    Desde o anúncio da estreia de Oito Mulheres E Um Segredo, muito se falou sobre as expectativas que girariam em torno de um longa totalmente feminino, com grandes atrizes e um tema que, mesmo clichê, seria visto de uma visão totalmente diferente, já que a ideia de um "spin-off" de Onze Homens E Um Segredo após 17 anos de seu lançamento é um tanto quanto atraente.

    Com direção de Gary Ross, o longa que chega aos cinemas nesta quinta-feira, traz um grupo de oito mulheres liderado por Debbie Ocean (Sandra Bullock) embarcam em uma missão de roubar uma jóia da marca Cartier avaliada em US$ 150 milhões de dólares, durante um evento grandioso que reúne grandes estrelas de Hollywood. Entre as criminosas estão Lou (Cate Blanchett), Rose (Helena Bonham Carter), Nine Ball (Rihanna), Tammy (Sarah Paulson), Constance (Awkwafina), Amita (Mindy Kaling) e Daphne Kluger (Anne Hathaway).

    Debbie é a própria herdeira do crime em pessoa. Vindo de uma família de estelionatários, já que é irmã caçula de Danny Ocean, personagem de George Clooney em Onze Homens E Um Segredo. Ela nos é apresentada saindo da prisão após cumprir sentença de um crime de estelionato. E é claro que Debbie não perde tempo para programar o próximo assalto. E é assim que começa sua busca pelas melhores profissionais do crime.

    Mesmo que seja feito para ser leve e divertido, o longa não consegue empolgar logo de cara, já que o primeiro ato se entrega à monotonia. Seguindo a mesma linha do original, todo o plano é contato de forma avessa, o que tira de Oito Mulheres E Um Segredo a oportunidade de se tornar único e diferente na ideia de mudar o formato da narrativa e entregar uma novidade aos conhecedores da franquia. Nem mesmo a tentativa de plot-twist supreende tanto como deveria. 

    Uma grande baixa também é que o longa não se aprofunda em apresentar melhor quem são as integrantes do grupo. Isso faz com que o filme se torne um tanto quanto raso, e deixe de lado a interação do espectador com as personagens, algo que seria ideal, levando em conta o elenco de peso que faz parte do projeto e o quão divertido é quando esse grupo se reúne. No entanto, mesmo sabendo a liderança de Debbie no grupo, há uma certa curiosidade em saber o que motivou cada uma das outras mulheres a entrar para o grande assalto. 

    Mesmo assim, o longa tem os seus acertos. O assalto é convincente, deixando um clima de tensão no espectador ao saber se tudo dará certo. Com cenas deslumbrantes e divertidas do Met Gala, é impossível não dar boas risadas com as criminosas colocando em prática suas funções para conseguir pegar a jóia. Da mesma forma, ver o empenho de Debbie na realização do plano, mais uma pitada de vingança contra seu ex-namorado, Claude Becker (Richard Armitage), acabam deixando as coisas um pouco mais interessantes. 

    Oito Mulheres E Um Segredo é única e exclusivamente sobre um assalto. Mesmo com uma boa ideia de reunir um grupo fodão de mulheres em meio a movimentos como o Times's Up e #MeToo, principalmente de atrizes que estão envolvidas na causa, como Blanchett e Hathaway. Dessa forma, o longa não aproveita o momento e infelizmente perde a chance de se destacar como uma das melhores comédias do ano.