Pôster de Olga

OLGA

(Olga)

2004 , 141 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 20/08/2004

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jayme Monjardim

    Equipe técnica

    Roteiro: Fernando Morais, Rita Buzzar

    Produção: Bruno Wainer, Carlos Eduardo Rodrigues, Marc Beauchamps, Rita Buzzar

    Fotografia: Ricardo Della Rosa

    Trilha Sonora: Marcus Viana

    Estúdio: Europa Filmes, Globo Filmes, Lumière, Nexus Cinema e Vídeo

    Montador: Beat Morell, Pedro Amorim

    Distribuidora: Europa Filmes, Lumière

    Elenco

    Anderson Muller, Antônio Calloni, Caco Ciocler, Camila Morgado, Eliane Giardini, Fernanda Montenegro, Floriano Peixoto, Guilherme Weber, Hélio Ribeiro, Jandira Martini, José Dumont, Leona Cavalli, Luís Melo, Mariana Lima, Milena Toscano, Murilo Rosa, Odilon Wagner, Osmar Prado, Renata Jesion, Werner Schunemann

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Quando fiquei sabendo que o livro Olga, escrito por Fernando Morais, seria adaptado para o cinema, confesso que senti um misto de empolgação e medo. A biografia é um verdadeiro clássico da literatura brasileira contemporânea e, para virar filme, precisava de um time de profissionais muito bem qualificados na arte de se fazer cinema a fim de termos uma obra cinematográfica à altura da literária. No meio desse turbilhão de expectativas, eis que finalmente estréia Olga, o filme. Dirigido por Jayme Monjardim, traz no papel da militante a atriz Camila Morgado, estreante no cinema. Ambos vêm de experiências bem-sucedidas na TV: ele é diretor consagrado, responsável, entre outros, pela bela minissérie A Casa das Sete Mulheres; ela foi revelada ao público brasileiro interpretando uma das heroínas desse trabalho dirigido por Monjardim. Daí vinha o medo: será que o trabalho do diretor teria uma estética televisiva demais para o cinema? Será que ela não conseguiria passar ao seu papel a força que a verdadeira Olga tinha? Tenho certeza que essas dúvidas passaram pela sua cabeça. E digo uma coisa: pode ficar sossegado antes de comprar seu ingresso para ver Olga, pois trata-se de um belo filme. Muito bem produzida, a produção traz uma fotografia estonteante, assim como a direção de arte. Tocante, Olga é daqueles filmes capazes de fazer brotar uma lágrima no espectador sensível. Ou até mais.

    O filme conta a história de Olga Benário (Camila Morgado), uma judia alemã nascida em berço de ouro, mas que foge de seu país a fim de se tornar uma revolucionária. Querendo mudar o mundo, Olga vive na clandestinidade em nome do comunismo. Eis que uma surge uma missão que muda seu rumo: ela é escalada para cuidar da segurança do brasileiro Luís Carlos Prestes (Caco Ciocler), que estava sendo procurado pelo governo do País depois de liderar a Coluna Prestes. Dessa missão nasce o amor que, assim como o comunismo, marcou a história de Olga.

    Olga é grandioso e, ao contrário do que muitos esperavam, o fato da direção estar nas mãos de um diretor consagrado pela TV não faz com que Olga tenha uma estética televisiva, a não ser em alguns momentos, quando sua montagem se parece, sim, com um trabalho feito para a TV. Outro ponto forte de Olga é a performance de Camila Morgado, que conseguiu incorporar com sucesso a força requerida para a personagem. A direção de arte, feita por Tiza de Oliveira, também é ótima, mas, infelizmente, não acontece na trilha sonora. A música incidental constante faz com que as poucas mais de duas horas de projeção pareçam ser mais longas do que o normal. O que não compromete o longa, no final das contas.

    Pode-se dizer que Olga é mais uma prova de que a qualidade do cinema nacional não deixa nada a desejar, muito pelo contrário. É um filme maduro e bem resolvido. Não deve ser considerado um bom filme nacional, mas sim um bom ótimo filme e ponto final.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus