cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    'Pânico' é presente aos fãs da franquia e orgulharia o criador Wes Craven

    Novo longa da saga de terror estreia nesta quinta-feira (13) nos cinemas
    Por Thamires Viana
    12/01/2022 - Atualizado há 6 meses

    Em uma era onde reboots, remakes e todas essas variações vêm ganhando as telas do cinema, o clássico Pânico não poderia ficar de fora. Criada por Wes Craven (1939 - 2015), a franquia que revitalizou o subgênero slasher e se consolidou como um dos maiores sucessos de todos os tempos ganha um quinto filme nesta quinta-feira (13).

    Deixando o número 5 de lado e assumindo apenas o título Pânico, o projeto dirigido pela dupla Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett - do elogiado Casamento Sangrento - já entrega que seu maior objetivo é honrar o legado do primeiro filme lançado em 1996 ao mesmo tempo em que tenta revitalizar essa popular história de terror. 

    Quando anunciado, Pânico recebeu olhares tortos dos fãs exatamente por ser o primeiro sem a mente criativa de Wes e o segundo sem o roteiro assinado por Kevin Williamson. "Por que mexer nessa franquia?" e "Será que isso dará certo?" foram as perguntas que mais passaram pela cabeça dos aficcionados pelo enredo focado no serial killer Ghostface.

    Cena de Pânico (2022)Reprodução

    No entanto, Pânico é uma grata surpresa! Aderindo mais uma vez ao uso da metalinguagem e as autorreferências tão comuns em seus antecessores, o filme funciona como uma verdadeira homenagem à figura de Wes e sabe bem como rir de si mesmo em diversos momentos.

    Assim como Matrix: Resurrections, que chegou aos cinemas recentemente, o filme tira sarro não apenas dos clichês do slasher mas também brinca com o fanatismo e suas problemáticas. Dessa forma, Pânico usa de um tom crítico para ironizar sua chegada às telonas, principalmente em uma época em que o "terror elevado" é mais atrativo para o público. As piadas em torno de O Babadook, Hereditário e Corra! exemplificam a mensagem do filme pertencente a subgênero que veio perdendo as forças nos últimos anos. 

    Com o retorno do trio principal formado por Sidney (Neve Campbell), Gale (Courteney Cox) e Dewey (David Arquette), o longa garante uma imersão deliciosa e nostálgica ao original de 1996 e reforça a preocupação dos roteiristas James Vanderbilt e Guy Busick em não abandonar elementos cruciais para essa reinicialização. Ao mesmo tempo, os novos integrantes do elenco, com destaque para Jenna Ortega, Melissa Barrera e Mikey Madison, dão um frescor necessário a esse novo capítulo do terror e garantem o tom cômico e cheio de fôlego que é tão característico dos projetos anteriores. 

    Cena de Pânico (2022)Reprodução

    Pânico acerta ao flertar entre o hilário e o sombrio e unir ambas as abordagens com bastante equilíbrio. Neste, Ghostface está ainda mais sanguinário e disposto a estripar suas vítimas, mas continua um assassino atrapalhado e perdido que tem zero experiência em matar! 

    Além disso, as inúmeras piadas com o 'Facada', filme de terror fictício que foi baseado no livro de Gale em Pânico 2, são também um dos pontos altos da trama e levarão os fãs às gargalhadas.

    Com uma direção segura, Pânico traz um divertido encontro de gerações sem deixar de lado o respeito por sua própria história e legado. Ao mesmo tempo, o longa garante que um novo público se apaixone por todo o humor, suspense e reviravoltas já conhecidos dessa icônica e revolucionária franquia.   

    Veja também: