cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    PEQUENO DICIONÁRIO AMOROSO 2

    Com erros e acertos, sequência não consegue se atualizar
    Por Edu Fernandes
    09/09/2015

    Em 1997, a diretora Sandra Werneck (Sonhos Roubados) levou para as telas uma história de amor ilustrada pelas letras do alfabeto. Quase vinte anos depois, reencontramos os personagens de Pequeno Dicionário Amoroso em novos dramas, mas com uma precária atualização dos conflitos.

    Agora Luiza (Andréa Beltrão, de Os Penetras) é uma mulher casada, mãe, e dona de uma galeria de arte. No funeral de seu padrasto, ela reencontra Gabriel (Daniel Dantas, de Getúlio), seu ex-marido. Como os relacionamentos de ambos estão em decadência, o casal se reaproxima.

    Pequeno Dicionário Amoroso 2 traz outras tramas paralelas, em uma tentativa de atualizar suas discussões. Alice (Fernanda Vasconcellos), filha de Gabriel com Bel (Glória Pires, de Linda De Morrer), está dividida entre dois amores quando seu caso com Ju (Priscila Steinman) é abalado pela chegada do poeta João (Renato Góes, de Solidões). Esse núcleo tenta falar de relações não-monogâmicas e sexualidade líquida, mas não consegue fugir do novelesco.

    Pedro (Miguel Arraes), filho de Luiza com Alex (Marcello Airoldi, de Do Lado de Fora), é um típico adolescente de treze anos com hormônios em profusão, que entra em um programa de mensagens virtuais para conversar com uma mulher mais madura. Essa forma de namoro virtual era corriqueira na época do primeiro filme, mas é exceção na atual era dos aplicativos de smartphones.

    As tramas paralelas servem como respiros para o enredo central, e se encaixam no jogo alfabético de termos que anunciam as cenas. A estrutura herdada do filme anterior garante dinamismo, mas falta equilíbrio narrativo. Alguns núcleos são renegados por tempo demais e há sobras no roteiro.

    O maior feito de Pequeno Dicionário Amoroso 2 é fazer com que torçamos novamente por seus protagonistas. Por outro lado, marinheiros de primeira viagem nesse universo não terão problemas em embarcar na história. Tudo isso com personagens que não têm pudor em exibir suas falhas de caráter.

    Para escapar de um simples reencontro romântico, o longa inclui um elemento dificultador na figura do fotógrafo Guto (Eduardo Moscovis, de Os Homens São De Marte... E É Pra Lá Que Eu Vou), apresentado um tanto tardiamente na história. Ele se encanta por Luiza e pretende fazer uma exposição de seu trabalho na galeria dela. O novo homem coloca em dúvida as certezas da plateia, mas sem o envolvimento desejado. Exatamente por entrar na trama atrasado, Guto ganha a antipatia do espectador.

    Assim, com erros e acertos, Pequeno Dicionário Amoroso 2 revisita seus personagens, mas sem uma história que faça jus de suas jornadas.