Poster Pokemon 3

POKÉMON 3: O FEITIÇO DOS UNOWN

(Pokémon 3 - The Movie)

2000 , 93 MIN.

anos

Gênero: Animação

Estréia: 06/07/2001

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Kunihiko Yuyama, Michael Haigney

    Equipe técnica

    Roteiro: Marc M., Michael Haigney, Norman J. Grossfeld, Takeshi Shudo

    Produção: Choji Yoshikawa, Norman J. Grossfeld, Takemoto Mori, Yukako Matsusako

    Fotografia: Hisao Shirai

    Trilha Sonora: Hirokazu Tanaka, Ralph Schuckett, Shinji Miyazaki

    Estúdio: 4 Kids Entertainment, Kids' WB, Nintendo, Oriental Light and Magic (OLM), Pikachu Project, Pikachu Project 2001, Shoakuken, TV Tokyo

    Montador: Toshio Henmi, Yutaka Itô

    Distribuidora: Warner Bros

    Elenco

    Amy Birnbaum, Dan Green, Eric Stuart, Ikue Ôtani, Kathy Pilon, Lisa Ortiz, Madeleine Blaustein, Rachael Lillis, Rica Matsumoto, Rodger Parsons, Stuart Zagnit, Veronica Taylor

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    A filosofia da série Pokémon é bastante simples: quanto mais monstrinhos existirem, mais figurinhas, camisetas, lancheiras, lápis, bonés, bonecos e similares os produtores poderão licenciar. E mais dólares (ou iênes) eles poderão faturar.

    Por isso, neste terceiro longa-metragem da série, o espectador fica conhecendo os poderosos Unown, Pokémons em forma de letras que têm a incrível capacidade de transformar os pensamentos humanos em realidade. Mas, como sempre acontece no universo Pokémon, os superpoderes podem ser usados tanto para o Bem como para o Mal. E, no caso, os Unown preferem a segunda opção. Criando um mundo de fantasias, eles aprisionam a órfã Molly e a própria mãe do treinador Ash num universo paralelo irreal, cheio de perigos imaginários. Mas, é claro que Pikachu e sua turma estão a postos para restabelecer a paz e a ordem no lugar.

    Não é muito fácil, para um adulto, compreender totalmente o mundo dos Pokémons. Fiéis às suas origens orientais, os desenhos da série são repletos de mensagens cifradas, sabedoria simbólica e até de algumas doses de filosofia. Tudo isso, é claro, fora as centenas e centenas de personagens que confundem a cabeça de qualquer um. Aliás, de qualquer um maior de 12 anos.

    Porém, basicamente, são desenhos “do bem”. Há, sim, alguma violência, mas o bom humor e as mensagens positivas acabam compensando. Os roteiros nunca são simplistas, nem maniqueístas. Pelo contrário, eles exigem das crianças – e dos grandões também – raciocínio lógico, abstração e fantasia, colocando-se assim num patamar bem superior à maioria dos filmes e desenhos direcionados para o público infantil.

    Neste terceiro episódio, por exemplo, fica clara a mensagem do terrível poder que os nossos medos internos exercem sobre os nossos atos. De como muitas vezes nossas atitudes são barradas por medos desconhecidos e infundados que superam a própria realidade. E não é só isso. O desenho também levanta questões sobre valores morais, ética, além da tão tradicional honra oriental.

    Por isso, vale a pena deixar de lado o preconceito e levar a garotada para ver Pokémon 3 nos cinemas. Um desenho para ser visto de coração aberto. Faz parte do programa o curta-metragem Pikachu & Pichu.

    4 de julho de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. celsosabadin@cineclick.com.br



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus