cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    ROUBO NAS ALTURAS

    Em Hollywood, poucas são as comédias que funcionam. <em>Roubo nas Alturas</em> é um delas. <br />
    Por Roberto Guerra
    14/12/2011

    Hollywood lança dezenas de comédias todos os anos – filão lucrativo para os estúdios desde sempre. Ultimamente, a maioria deixa no espectador aquela sensação de tempo desperdiçado ao sair da sala de cinema dada à falta de qualidade. Fato: fãs de comédia sofrem atrás de algo que valha a pena. Poucos são os filmes que funcionam, mesmo como mero passatempo. Roubo nas Alturas é um deles.

    O filme conta a história de Josh Kovacs (Ben Stiller), o administrador de um edifício de luxo de Nova York que, assim como todos os seus funcionários, tem a sua aposentadoria roubada por um investidor mau caráter de Wall Street (Alan Alda). Quando Kovacs descobre que o criminoso de colarinho branco está em prisão domiciliar na cobertura do edifício, decide planejar um assalto ao apartamento. Para isso, paga a fiança de Slide (Eddie Murphy), um ladrão de verdade que vai ensinar alguns truques para os assaltantes de primeira viagem.

    O filme, que segue na mesma linha da franquia Onze Homens e um Segredo, mas com bandidos menos sofisticados e mais parecidos com nossos colegas de trabalho, tem seus momentos mais engraçados durante o treinamento organizado por Slide sobre a “arte de roubar”. Depois de um tempo, os próprios alunos começam a duvidar da capacidade criminosa de Murphy.

    Todo o elenco funciona muito bem, mas é Murphy quem rouba a cena com um papel que lhe cai como uma luva, cheio de oportunidades para explorar seu talento que anda sumido das telas graças aos filmes medíocres que tem feito ultimamente. Outro destaque é Alan Alda como um vilão dócil e, ao mesmo tempo, execrável.

    Com um elenco talentoso e um roteiro acima da média habitual, Roubo nas Alturas diverte ao e fazer uma crítica bem humorada ao preço pago pela população norte-americana por causa dos desmandos do setor financeiro do país, que tem no personagem de Alan Alda a personificação do mal que todo americano vítima da crise econômica conhece bem.