cineclick-logo
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • Fale Conosco|Política de Privacidade
    © 2010-2020 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    SEM RESERVAS (2007)

    Por Angélica Bito
    10/08/2007
    6/10

    SEM RESERVAS (2007)

    Comédia Dramática

    Nada como um homem sedutor e uma criança carismática para derreter o coração de uma mulher que escolheu viver solitariamente. É exatamente isso que mostra a comédia romântica Sem Reservas, refilmagem do filme alemão Simplesmente Martha (2001).

    A mulher solitária é Kate (Catherine Zeta-Jones), uma respeitada chef que trabalha no restaurante nova-iorquino gerenciado por Paula (Patricia Clarkson). A chegada de sua sobrinha Zoe (Abigail Breslin), que passa a morar com Kate, abala as estruturas já muito bem-definidas da cozinheira. Acostumada a morar sozinha e viver sob rígidas regras que fazem sentido somente para ela, Kate não sabe como lidar com os cuidados que deve ter com a menina. Mas a protagonista perde o controle de sua vida não somente com a chegada de Zoe, mas também com a contratação do subchef Nick (Aaron Eckhart). Ele não tem nada da rigidez de Kate em seus métodos de trabalho; enquanto cozinha, por exemplo, gosta de ouvir ópera em volume bem alto. Os dois novos elementos na vida da personagem fazem com que ela repense o que ela achava ser certo e errado em sua concepção.

    Sem Reservas é um filme bastante simpático. Diferentemente da obra alemã que originou seu roteiro, esta versão norte-americana foca mais o relacionamento amoroso da protagonista. Claro que a sobrinha tem um grande papel em sua vida, mas o filme foca melhor a paixão que surge entre ela e o novo colega de trabalho. Sem Reservas une elementos que dão tempero às melhores comédias românticas, como uma boa química entre os protagonistas; os personagens são construídos de uma forma verossímil. Isso sem contar a presença da adorável Abigail Breslin, de Pequena Miss Sunshine.

    Sem Reservas deve agradar principalmente aos fãs de adoráveis comédias românticas, daquelas que têm final previsível e mesmo assim são capazes de envolver o espectador.