cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    'Thor: Amor e Trovão' prova que Marvel sabe fazer até comédia romântica

    Novo longa é estrelado por Chris Hemsworth e Natalie Portman

    Por Daniel Reininger
    05/07/2022 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Thor: Amor e Trovão é um filme cheio de personalidade, diversidade, cor e traz a assinatura do cineasta Taika Waititi, que decidiu criar um longa com vibe de videoclipe com cenas frenéticas e boa música para realmente divertir e conquistar públicos mais jovens.

    O longa não tenta levar o personagem em uma nova direção, apenas pretende honrar sua jornada, mesmo que não ofereça muitas novidades para o Universo Cinematográfico da Marvel em geral. Waititi foca no momento e encontra o equilíbrio certo entre coração, comédia e ação ao fundi-los em algo especial, divertido e leve.

    Trama

    O filme é certamente divertido e apresenta vários momentos originais em uma trama simples, mas eficiente: Após salvar o universo ao lado dos Vingadores, Thor partiu para o espaço com os Guardiões da Galáxia para aproveitar o primeiro período em centenas de anos em que “não tem um plano”. 

    Enquanto tenta descobrir seu novo lugar no universo, o herói descobre um novo e terrível inimigo: Gorr, o Carniceiro dos Deuses, vivido por Christian Bale. Esse inimigo busca a extinção de todos os seres que se consideram e agem como deuses. 

    Com isso, Thor busca ajuda de seus amigos e acaba surpreendido pela Poderosa Thor, que na verdade é Jane Foster (Natalie Portman). Juntos, precisam impedir a morte de todos os deuses do universo e garantir que o caos não tome conta da galáxia.

    Comédia Romântica

    Desde Ragnarok, Chris Hemsworth passou a retratar sem medo tanto a turbulência interna do deus, quanto sua personalidade expansiva. Isso permitiu que o personagem evoluísse e se tornasse mais humano. Nesse longa, ao ser reunido com o amor de sua vida, Jane, Thor se encara uma comédia romântica misturada com momentos de ação.

    Ao abraçar esse gênero, Waititi prepara o cenário para Hemsworth e Portman trabalharem ainda melhor sua química, especialmente em um flashback prolongado que detalha a felicidade inicial de seu relacionamento e o eventual término. O filme gasta um bom tempo celebrando o intelecto e bravura de Jane, que tem um belo arco, digno da personagem e da atriz.

    Amor e Trovão infelizmente subutiliza o Rei Valquíria de Tessa Thompson, que tem facilidade em canalizar a arrogância e bagagem da personagem de forma consistente, especificamente em suas brincadeiras com Thor e Jane. A personagem aparece bem, mas acaba ficando para escanteio quando a trama decide focar somente no casal principal e isso é uma injustiça, afinal, Valquíria é uma das melhores personagens da Marvel.

    Vilão

    A abertura desoladora é uma das melhores cenas do filme ao estabelecer Gorr, de Christian Bale, e sua promessa de que “todos os deuses morrerão”. Assombrado, o personagem oscila entre o teatral e o amedrontador e Bale trata cada aspecto do vilão com entusiasmo. O ator parece curtir o papel e sua presença, assim como a de Natalie Portman, eleva o filme. 

    O conflito que impulsiona Amor e o Trovão é o ponto em que o filme para de inovar. A corrida para parar Gorr antes que ele consiga acabar com todas as divindades do MCU de uma vez só se desenrola sem surpresas, apenas jogando os personagens de uma cena de luta para a próxima. Embora o arco do vilão seja interessante, seria ótimo ver ele ser ainda mais aprofundado nas telas.

    Leve e divertido

    Waititi tem um talento especial para fazer comédia com coisas estranhas e inesperadas, como a disputa silenciosa entre Mjolnir e Stormbreaker, humanizados de forma hilária. O diretor usa as armas para alimentar algumas ótimas piadas e ainda ajuda a mostrar as questões emocionais de Thor.

    Visualmente o filme é colorido, com cenários criativos e personagens interessantes, perfeito para ser visto no cinema. A trilha sonora é boa, dominada por Gun's Roses, embora teria sido mais interessante ver outras bandas clássicas garantindo um espaço nas cenas de ação.

    Amor e Trovão diverte e é capaz de honrar a longa jornada de Thor. O filme brilha quando os protagonistas Chris Hemsworth, Natalie Portman e Tessa Thompson estão juntos em tela.

    Além disso, por ser a primeira comédia romântica do MCU, consegue brincar com o gênero de forma curiosa. É exatamente o relacionamento de Thor e Jane que faz o filme funcionar, mas em termos de história ou de ligações com o MCU, deixa um pouco a desejar.

    O humor e o estilo visual característico de Taika Waititi também conseguem fazer o longa funcionar apesar do enredo simples. E Chris Hemsworth está mais entusiasmado do que nunca no papel, por isso mesmo que o futuro de Thor parece ainda mais brilhante.

    Veja mais