Pôster de Todo Poderoso

TODO PODEROSO

(Bruce Almighty)

2003 , 101 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia: 06/06/2003

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Tom Shadyac

    Equipe técnica

    Roteiro: Mark O'Keefe, Steve Oedekerk

    Produção: James D. Brubaker, Jim Carrey, Mark O'Keefe, Michael Bostick, Steve Koren, Tom Shadyac

    Fotografia: Dean Semler

    Trilha Sonora: John Debney

    Estúdio: O Entertainment, Pit Bull Productions, Shady Acres Entertainment, Spyglass Entertainment, Touchstone Pictures, Universal Pictures

    Montador: Scott Hill

    Distribuidora: Buena Vista Home Entertainment, Columbia Tristar Buena Vista Films of Brasil, Inc.

    Elenco

    Bette Rae, Catherine Bell, Christopher Darga, Dan Desmond, Eddie Jemison, Jennifer Aniston, Jim Carrey, Lillian Adams, Lisa Ann Walter, Lou Felder, Madeline Lovejoy, Mark Kiely, Morgan Freeman, Nora Dunn, Paul Satterfield, Philip Baker Hall, Sally Kirkland, Selma Stern, Steve Carell, Tony Bennett

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    É a velha história: através de alguma mágica ou intervenção divina, um protagonista de caráter discutível toma uma grande lição de vida e fica superlegal, superbonzinho. Trata-se de um dos temas mais antigos da história do cinema. Um tema que quase sempre funciona bem. Então, por que mexer em time que está ganhando? O diretor e o ator principal de O Mentiroso (respectivamente Tom Shadyac e Jim Carrey) se uniram a dois roteiristas de televisão (Steve Koren de Seinfeld, e Michael O´Keefe de News Radio) e utilizando os velhos clichês que todos amam realizaram mais um grande sucesso de bilheteria: a comédia romântica O Todo Poderoso, filme que arrecadou quase US$ 140 milhões apenas em suas duas primeiras semanas de exibição (o custo foi de US$ 81 milhões).

    O Bruce do título original é Bruce Nolan (Carrey), repórter de TV que se acha injustiçado na vida e na carreira. Como ele vive praguejando contra Deus, um dia, o próprio Todo-poderoso (Morgan Freeman) resolve aparecer para ele. Não contente com a simples aparição, Deus ainda dá a Bruce uma semana de plenos poderes divinos, com apenas duas restrições: ninguém poderá saber do trato, e o agora Deus-Bruce jamais poderá interferir no livre arbítrio das pessoas. É claro que, num primeiro momento, o jovem repórter utiliza sua força divina apenas para finalidades fúteis. Mas aos poucos ele vai aprender aquilo que todo mundo que gosta de cinema e que já viu filmes iguais a este já sabe: o bem maior prevalece sobre o bem individual. Ohh!

    Sem maiores pretensões, Todo Poderoso é um gostoso entretenimento para toda a família. Meio Disney, meio Capra, o filme cumpre o que promete: diversão e alto astral.

    04 de junho de 2003
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. celsosabadin@cineclick.com.br



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus