cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    TOY STORY 2

    <br />
    Por Celso Sabadin
    04/03/2010

    Depois do grande sucesso de Toy Story, os produtores e criadores da Pixar se depararam com um “problemão”: como fazer a continuação de um filme que é tido praticamente como perfeito? Foi com este desafio nas cabeças (e nos computadores) que se partiu para Toy Story 2, animação que já nasceu com a difícil missão de superar o primeiro.

    Se superou ou não é discutível, mas pelos menos Toy Story 2 não faz feio diante de seu antecessor. Fica, vamos dizer assim, no mesmo patamar de excelência, tanto de roteiro quanto de aprimoramento técnico.

    Nesta segunda aventura, graças ao desenvolvimento rapidíssimo da computação gráfica, os roteiristas decidiram dar mais ênfase a personagens humanos, cujo estilo de animação ainda era um pouco “duro” por ocasião do primeiro filme. Ganha corpo, então, a sátira feita em cima das maluquices de um inescrupuloso colecionador de brinquedos, disposto a “exportar” Woody para algum milionário japonês que estaria disposto a pagar alto preço pela raridade.

    Entram em cena novamente os valores de lealdade e coleguismo do primeiro filme, mas, desta vez, priorizando mais a ação e a aventura que propriamente as relações humanas. Humanas? Sim, humanas dos brinquedos, por que não? Abre-se espaço também para a introdução de novos personagens que não só enriquecem a trama como também ajudam o departamento de licenciamento a vender mais produtos, porque, afinal, ninguém é de ferro e a indústria precisa girar.

    Memorável a cena que satiriza o famoso “Luke, I´m your father”, de Guerra nas Estrelas (bom, na época se chamava Guerra nas Estrelas, só depois da globalização que tudo virou Star Wars).

    Ainda não vi Toy Story 2 em 3D (não houve sessão para a imprensa), mas, sem dúvida, trata-se de um filme que - pelo seu humor, criatividade, inteligência e conteúdo - pode muito bem ser também apreciado pelo sistema convencional. É um filme cujo conteúdo fala muito mais alto que a forma, diferente daquela chatice tecnológica do Avatar.

    Xi... falei... agora vão começar aqueles e-mails dos nerds pentelhos...ahahahahah...