UP - ALTAS AVENTURAS

UP - ALTAS AVENTURAS

(Up)

2008 , 96 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 04/09/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Pete Docter

    Equipe técnica

    Roteiro: Bob Peterson, Pete Docter, Thomas McCarthy

    Produção: Jonas Rivera

    Trilha Sonora: Michael Giacchino

    Estúdio: Pixar Animation Studios, Walt Disney Pictures

    Elenco

    Bob Bergen, Bob Peterson, Bob Scott, Brenda Chapman, Christopher Plummer, Danny Mann, David Kaye, Delroy Lindo, Donald Fullilove, Edward Asner, Elie Docter, Emma Coats, Jan Rabson, Jeff Pidgeon, Jeremy Leary, Jerome Ranft, Jess Harnell, John Cygan, John Ratzenberger, Jordan Nagai, Josh Cooley, Laraine Newman, Mark Andrews, Mickie McGowan, Paul Eiding, Pete Docter, Sherry Lynn, Teddy Newton, Teresa Ganzel, Tony Fucile, Valerie LaPointe

  • Crítica

    03/09/2009 10h27

    Quando você acha que a Pixar não pode se superar, eis que a produtora mais uma animação que tem tudo para ser referência no gênero. É o caso de Up – Altas Aventuras, que abriu o Festival de Cannes deste ano e chega com atraso nos cinemas brasileiros (quase quatro meses de diferença em relação à estreia nos EUA). De uma forma extremamente sensível e bem humorada, a animação imagina a última aventura de um homem que se vê próximo ao fim de sua vida.

    O homem é Carl Fredricksen (dublado por Chico Anysio na versão brasileira). Aos 78 anos, ele acaba de perder sua esposa, depois de uma vida inteira compartilhando sua vida com ela. Ao mesmo tempo, vê a casa que construíram juntos ser ameaçada por construções de arranha-céus na vizinhança. Sem muito mais a perder, ele resolve amarrar centenas de milhares de balões em sua casa e sair voando até a América do Sul, para “estacionar” no topo de uma cachoeira, onde sua esposa sempre sonhou ir. Mas tem um detalhe nesse plano que Carl não esperava: o pequeno escoteiro Russell – que vem a ser o primeiro personagem de descendência asiática da Pixar - embarca acidentalmente na jornada de Carl. Inicialmente rabugento, Carl rejeita todas as tentativas de Russell de fazer amizade, mas é impossível ficar alheio à simpatia do menino. Carl se vê na infância no pequeno explorador da natureza e o aceita em sua jornada em busca da concretização do maior sonho de sua esposa.

    A beleza de Up – Altas Aventuras não está somente nas ricas cores – que enchem a tela, principalmente quando a máquina voadora do protagonista está em cena -, ou mesmo no rigor gráfico da composição visual da animação, mas, sobretudo, no desenvolvimento da história. A amizade que se desenvolve entre Carl e Russell é tocante, bem como o envolvimento dos personagens nessa viagem fantástica. Embora tenha como base um roteiro fantasioso, Up – Altas Aventuras acaba despertando a afeição e o reconhecimento do espectador pela sensibilidade na qual é feita a composição de Carl, que lembra em diversos momentos o personagem de Clint Eastwood em Gran Torino.

    Embora seja sobre um homem que embarca em sua última aventura próximo ao fim da vida, Up – Altas Aventuras não é melancólico, pelo contrário. Divertida graças à dinâmica entre os dois protagonistas e aos personagens malucos que aparecem na jornada da dupla, a animação mostra-se adulta nessa abordagem sentimental da trama, ao mesmo tempo em que o tom de aventura também é capaz de conquistar facilmente os espectadores mais jovens. O filme consegue de elevar o espírito do espectador de uma forma emocionante da mesma forma como os milhares de balões fazem com os personagens da trama. Aliás, tão belo quando Up – Altas Aventuras é o curta que antecede sua exibição, Parcialmente Nublado.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus