cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    VIZINHOS 2

    Sequência aposta em tom "girl power"
    Por Iara Vasconcelos
    18/05/2016

    A maioria das comédias pastelão universitárias giram em torno de uma fraternidade de rapazes com um único objetivo em mente: Participar do maior número de festas, transar com o maior número de mulheres, sem repetir de ano, vide a famosa franquia American Pie. Mas o que há por trás das sororidades femininas, além de drama e vaidade?

    Em Vizinhos 2, Shelby (Chloe Grace Moretz) e suas amigas Beth (Kiersey Clemons) e Paula (Beanie Feldstein) mostram que pode haver muita amizade e companheirismo quando as mulheres se juntam. Cansadas das festas machistas em seu campus, em que mulheres são tratadas como produto e o "boa noite Cinderela" rola solto, e das regras restritas das sororidades - que não podem organizar festas, apenas frequentar as masculinas - elas decidem criar sua própria organização com muito mais liberdade.

    Com a ajuda de Teddy Sanders (Zac Effron), que faz jus ao estereótipo do bonitão nada inteligente, elas alugam uma casa e passam a morar ao lado de Mac (Seth Rogen) e Kelly Radner. (Rose Byrne). Acontece que os dois estão prestes a fechar um negócio para vender a casa e comprar uma nova, já que Kelly está novamente grávida, mas a vizinhança barulhenta pode estragar tudo. A partir daí, os dois armam planos mirabolantes para expulsar as garotas de lá e fechar o negócio.

    A maior parte do elenco de Vizinhos retorna para a sequência. Só que dessa vez, o diretor Nicholas Stoller tenta criar novas dimensões sobre a história, como a dificuldade de ver os filhos crescerem. O principal pesadelo de Mac e Kelly é que a filha mais nova vire uma adolescente como as que moram ao seu lado. Mas no fundo eles sabem que as vizinhas encrenqueiras são apenas crianças descobrindo o peso da responsabilidade. Enquanto as garotas vêm os dois como "velhos" e "caretas", as típicas figuras de autoridade representadas pelos pais e as instituições de ensino. O choque de gerações é o toque especial da trama.

    As piadas continuam bobinhas, típicas dos filmes do gênero, e mesmo o tom "feminista" passa longe de propor discussões aprofundadas, embora, provavelmente não fosse algo que o roteiro almejava. Vale lembrar que apelar para discursos sociais também tem sua vertente descolada e comercial, como ocorre nesse caso.

    Há ainda uma cena ou outra que pode levar os espectadores a gargalhadas - como quando ocorre uma perseguição ao som de "Sabotage" dos Beastie Boys ou quando Jimmy (Ike Barinholtz) encarna um palhaço. No geral, Vizinhos 2 é mais engraçado que seu antecessor.

    A inversão de gêneros em Vizinhos 2 tem lá seu charme, principalmente pelo tom "girl power" e carisma e apelo juvenil de Moretz e Effron, além da participação de figuras conhecidas do grande público como Lisa Kudrow, a Phoebe de Friends, e da cantora Selena Gomez, mas não espere algo revolucionário. Vizinhos 2 continua essencialmente um pastelão descomprometido e não há mal nenhum nisso.