Amor à Primeira Briga: Diretor fala sobre seu primeiro longa-metragem

Conversamos com Thomas Cailley, que comentou sobre sua comédia romântica

04/04/2015 12h43

Por Pedro Tritto

Amor À Primeira Briga, que estreou na última quinta-feira (02) em São Paulo, marca a estreia do diretor francês, Thomas Cailley, em longas-metragens. E logo no primeiro filme, o cineasta de 34 anos mostrou que já é um veterano no assunto, já que o longa foi bem recebido pela crítica e conquistou prêmios importantes, como o de melhor filme no último Festival Cannes, na mostra Quinzena dos Realizadores.

Além disso, longa rendeu a protagonista Adele Haenel o César (espécie de Oscar francês) de melhor atriz, superando grandes nomes do cinema, como Marion Cotillard, Juliette Binoche e Catherine Deneuve.

Em um bate-papo exclusivo com a equipe do Cineclick, o diretor falou sobre como surgiu a ideia de retratar uma história de amor através de um cenário de sobrevivência. Confira abaixo o que mais o cineasta falou sobre o seu primeiro longa-metragem:

Como surgiu a ideia de fazer esse filme?

Queria contar uma história de amor. Uma coisa curiosa é que me interessei muito pelos personagens principais, que têm personalidades totalmente opostas, mas que, ao mesmo tempo, têm um interesse em comum. Não conhecia os códigos de comédia romântica e não sabia como desenrolar a relação entre os dois. Foi um desafio.


E como surgiu a ideia de falar sobre sobrevivência nesse contexto?

Sempre gostei de reality shows e assisti um sobre sobrevivência, que tem um cara do exército que salta de paraquedas em um lugar qualquer e precisa sobreviver de qualquer forma. A partir daí, passei a me interessar por esse tema, pois acho esse lance da busca pela sobrevivência uma ideia bem contemporânea.


Houve alguma preparação especial para as cenas de sobrevivência?

Não teve uma preparação especial. Quando conheci a Adele Haenel, ela mesma já possuía uma força bem verdadeira e uma energia forte por ser atleta. Ela praticava judô, natação e boxe, então não precisamos fazer um treino especial. Na verdade, o que tivemos que fazer foi ter que pedir para ela pegar mais leve no esporte durante as gravações, porque estava ganhando muita força e já tínhamos escolhido o seu figurino. Se ela continuasse com a intensidade que estava, teríamos que mudar tudo novamente, pois ela não caberia na roupa.

Amor à Primeira Briga

 


E quanto ao Kévin Azaïs, que faz o par romântico de Adèle, houve um cuidado especial?

Em relação ao Kévin também não teve uma preparação, porque queríamos contar através dele uma história de iniciação, então queríamos mostrar todo o lado do aprendizado militar.


Amor à Primeira Briga ganhou prêmios importantes na Europa e foi bastante elogiado pela crítica. Por ser o seu primeiro filme, você ficou surpreso com essa recepção?

Foi uma enorme surpresa. Fiquei muito feliz e essa premiação é compartilhada, porque há muita gente envolvida. Para um filme ser premiado, precisa ter um roteiro bom, uma iluminação boa, uma boa equipe de atores e muito mais. Muita gente precisa ser reconhecida também. Esse foi o meu primeiro filme e o de muita gente da equipe também, então foi gratificante esse enorme reconhecimento.


Essa é sua primeira vez no Brasil. Qual foi a sua impressão do país?

O Brasil é genial, mas estou passando pouco tempo aqui. Estive dois dias em Brasília, três no Rio de Janeiro e mais dois em São Paulo. Infelizmente não é muito tempo para ter uma primeira impressão, mas percebi que é um lugar bem caloroso, as pessoas são bem receptivas, rico culturalmente e é um país que muda rapidamente, ao contrário dos da Europa.


Quais são seus próximos projetos?

Eles estão bem na fase inicial e, por isso, não posso falar muito sobre isso. Mas posso dizer que temos o objetivo de lançar em breve mais um longa-metragem e uma série de televisão.

Em Amor à Primeira Briga, os jovens Arnaud Labrède (Kevin Azaïs) e Madeleine Beaulieu (Adele Haenel) se conhecem logo depois de brigarem durante uma seleção para o exército. Com personalidades bem distintas, os dois acabam se conhecendo melhor e decidem se juntar a um grupo militar para testar todos os seus limites. O longa já está em cartaz em São Paulo e estreia no Rio de Janeiro na próxima semana.

+ Leia a nossa crítica de Amor à Primeira Briga

Confira abaixo o trailer: