"Ciborgue precisa descobrir como é fazer parte de um time", diz Ray Fisher em entrevista

Ray Fisher fala sobre a personalidade do herói e o desafio de entrar na Liga

13/11/2017 13h54

Por Iara Vasconcelos

Liga Da Justiça é o maior lançamento das próximas semana e os fãs já estão a postos para conferir mais uma aventura do universo da DC Comics nos Cinemas. No filme, teremos a oportunidade de rever Mulher-maravilha, Batman e Superman, além de conferir novos personagens, não tão conhecidos do grande público, a exemplo de Ciborgue.

Interpretado por Ray Fisher, o personagem foi criado pela dupla Marv Wolfman e George Pérez. Victor Stone (seu nome real) era um promissor jogador de futebol americano que acabou tendo parte de seu corpo destruído após uma explosão no laboratório onde seus pais trabalhavam. Seu pai cientista criou peças cibernéticas capazes de substituir as partes de seu corpo comprometidas pelo acidente.

O Cineclick teve acesso a uma entrevista com Fisher e o ator fala um pouco mais sobre a personalidade do heróis e dos seus desafios ao entrar para a Liga. Confira:

Fale um pouco mais sobre o Ciborgue que conhecemos em Liga da Justiça. Como ele chegou lá e quais são suas habilidades?

Quando conhecemos o Victor Stone no filme, ele já assumiu a identidade de Ciborgue por quase um ano. Ele tenta se manter em completo isolamento e lidar com tudo sozinho, afinal ele perde seu corpo, sua mãe e sua vida antiga de uma vez só. No topo disso, ainda precisa descobrir quem ou o que ele é agora que foi transformado em um 'monstro' por seu pai ausente.

Graças a tecnologia usada para criar o Ciborgue, seus poderes estão sempre se transformando. Eles incluem a habilidade de se relacionar com qualquer interface tecnologica, o poder de voar, super força, projeção de holograma e um sofisticado sistema de armas. A lista é grande. Ele possui poderes que ainda desconhece. O Ciborgue não precisa comer ou dormir e sempre que encontra um assunto que não consegue resolver de imediato, sua tecnologia consegue transmogrificar e imediatamente se adaptar a situação".

Quando ele é recrutado pela Diana Prince (Gal Gadot), como a sua personalidade solitária conseguirá se adaptar com os heróis da liga?

Ele se pergunta o que os outros querem dele. No primeiro momento, Ciborgue não está em um momento de salvar o mundo. Antes desse acidente, Victor era apenas um garoto normal, jogador de futebol americana, e um ótimo companheiro de equipe. Mas depois de tudo, ele precisa descobrir novamente como é fazer parte de um time".

O que você espera que o público aprenda com o filme e com o Ciborgue em especial?

O que eu gostaria que as pessoas levassem do filme é a ideia de união - gente com experiências diferentes podem vir a se unir e fazer a coisa certa para salvar a humanidade.

Já com o meu personagem, eu espero que percebam que, mesmo depois do acidente terrível que alterou a vida do Victor para sempre, ele conseguiu tornar tudo uma experiência positiva e ajudar o próximo. O Victor conseguiu se reconstruir mentalmente, da mesma forma que o seu pai conseguiu reconstruí-lo fisicamente. Pode não ser fácil, pode levar bastante tempo, mas ele vai conseguir. Isso é uma moral importante do personagem - dar esperança às pessoas e mostrar que, não importa o esforço, tudo é possível".

Confira o trailer de Liga da Justiça: