Entrevista: Carlos Villagrán, o Quico de Chaves, e Danilo Gentili falam sobre comédia

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola ainda não tem data de estreia definida

01/02/2016 20h35

Por Daniel Reininger

Após o anúncio de que Carlos Villagrán, o Quico do programa Chaves, seria o antagonista do filme Como se Tornar o Pior Aluno da Escola, adaptação do livro escrito por Danilo Gentili, o Cineclick foi convidado para bater um papo com o icônico ator mexicano, ao lado do comediante brasileiro e do diretor estreante em longas, Fabrício Bittar.

Baseado no manual criado a partir de anotações de Danilo na época de escola, a trama do filme ainda não está definida, mas as filmagens já tem data para começar: julho de 2016.

A comédia contará as experiências escolares do próprio comediante brasileiro, que recebeu 78 assinaturas no livro negro, teve 12 suspensões e uma expulsão no currículo. "Escrevi o livro com anotações que eu tinha, o livro é um manual de como ser o pior aluno, eu tinha realmente um diário e fui o pior aluno da escola", conta Gentili.

"Assim como o Coiote fazia planos pra pegar o Papa-léguas, eu tinha ideias para zuar. Eu tenho até hoje. Quando entrei pra televisão achei que as pessoas poderiam se interessar, aí lancei o livro. Logo depois, o Fabrício entrou em contato comigo falando que estava fazendo um filme sobre escola e meu livro encaixava perfeitamente. Agora, já são quase quatro anos trabalhando no roteiro", revela Gentili.

Pelo formato do livro, que não conta com uma narrativa, foi preciso criar a história do zero. "O livro é um manual, então tivemos que criar tudo, até mesmo os personagens", explica o diretor.

Sobre a escolha do intérprete de Quico, Danilo explicou: "Uma hora pensamos 'quem é o cara que a gente gostava de assistir quando era criança e continuamos gostando? Carlos Vilagrán'. Fizemos o convite e ficamos muito felizes quando ele aceitou".

Carlos Villagrán, o Quico de Chaves, e Danilo Gentili falam sobre comédia

O ator mexicano se diz empolgado com a oportunidade. "Fiquei surpreso, afinal o convite veio de profissionais de um país que não o meu e não é qualquer país, é o Brasil. Eu não sei falar português fluentemente, mas assumi um compromisso e sei que temos que fazer o melhor, eu e todos os envolvidos", revela.

O filme ainda está em pré-produção e a equipe corre contra o tempo para iniciar as filmagens em julho. Sobre o restante do elenco, que deve ser quase todo composto de jovens atores, os três não quiseram adiantar muito: "Vamos ter Robert DeNiro e Julia Roberts, mas ela será apenas uma figurante", brincam Carlos e Danilo.

O comediante brasileiro ainda completa: "Vilagrán será o diretor dessa escola. O Fabrício teve ótimas ideias e estamos desenvolvendo. A gente quis fazer um filme como os que víamos quando éramos moleques, a gente quer se divertir, trazer a sensação que tínhamos quando víamos Sessão da Tarde, sem se preocupar em ter uma mensagem ou algo mais, é pura diversão".

Vilagrán ainda comentou sobre fazer cinema no Brasil. "É uma oportunidade muito grande e quero responder a essa oportunidade com o melhor trabalho que puder fazer. Essa experiência [de trabalhar no cinema brasileiro] é muito importante para mim, estou muito feliz, só tenho a agradecer, tanto que já pedi para a Academia reservar um Oscar para nós", brincou. "Só precisamos decidir se o Oscar vai ficar no Brasil ou no México, vamos ter que dividir", completou Danilo.

O diretor Fabrício Bittar explicou de onde veio a ideia do projeto. "Trabalhei muito tempo na MTV e quando saí de lá queria muito fazer algo voltado aos jovens, para a molecada curtir. Por isso, enquanto a gente escreve o roteiro pensamos nas coisas que faríamos quando éramos crianças e também nas coisas que seriam legais de fazer no set. E ter o Carlos aqui com a gente é uma delas e já tem sido super divertido trabalhar com ele. A ideia é tentar fazer um filme que todos nós gostaríamos de ver no cinema".

Danilo comentou ainda sobre a emoção de trabalhar com o ator mexicano. "Todos somos fãs dele e é um sonho realizado. Toda vez que a gente escreve o roteiro a gente olha e fala 'isso vai ficar muito legal com o Carlos'", conta Danilo, "Na verdade, a gente olha o roteiro e quando achamos que não tá muito bom e a gente pensa 'ah, o Carlos vai conseguir melhorar isso'", brinca Fabrício.

Sobre o roteiro, Vilagrán revelou que não leu a trama completa ainda, apenas partes, mas afirmou que confia na dupla Danilo e Fabrício. "Somos os piores alunos também de roteiro, estamos atrasados há quatro anos", brinca Gentili.

Comercialmente, o trio espera atrair públicos de todas as idades. "Carlos vai trazer o elemento extra que procurávamos. Aqueles filmes que crescemos assistindo, tipo Karatê Kid, Curtindo A Vida Adoidado, Os Goonies, podiam ser vistos por crianças, mas também pelo meu pai, por todos, e o Carlos ajuda nesse ponto, todas as gerações gostam dele e vão assistir ao filme por causa dele. É o maior trunfo que temos", conta.

Sobre o futuro, o ator mexicano revela. "Quico foi menino por 33 anos e agora vou para o outro lado, ser o diretor da escola e estou muito feliz com a oportunidade. Mas ainda pretendo fazer apresentações como Quico, tenho 72 anos e tenho que viver um menino de nove. O meu pior inimigo são as reprises que ainda passam na TV, lá tenho 45 anos a menos e preciso parecer com essa minha versão antiga quando me apresento, mas ainda quero fazer essas apresentações", finaliza.

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola ainda não tem data de estreia definida.