O Hobbit: Ator conta sobre os bastidores do último filme da saga

Richard Armitage conversou com o Cineclick sobre A Batalha dos Cinco Exércitos

06/12/2014 17h50

Por Pedro Tritto

Richard Armitage, que interpreta o líder dos anões, Thorin Escudo-de-Carvalho, é um dos convidados mais esperados da Comic-Con Experience, que acontece em São Paulo entre 4 e 7 de dezembro. O ator está no Brasil para divulgar O Hobbit: A Batalha Dos Cinco Exércitos e ainda promover a primeira pré-estreia oficial do filme no Brasil, que vai ocorrer no último dia do maior evento de cultura pop da América Latina.

Antes de sua participação no evento, conversamos com o ator inglês, que contou detalhes dos bastidores do último capítulo da trilogia de Peter Jackson, além da importância das histórias escritas por J.R.R. Tolkien em sua vida.

Na pele de um dos personagens mais importantes de O Hobbit, Armitage comentou sobre as transformações que os três longas sofreram ao longo da trilogia, sendo que o primeiro, "Uma Jornada Inesperada", tem um tom mais leve, de fantasia, enquanto o último tem um ar mais sério, de guerra. "Esse processo foi muito importante. Queríamos que, no primeiro filme, estivessem presentes todos os elementos de Tolkien - como o senso de humor que ele criou. Já esse terceiro longa é o oposto, pois é uma história de guerra, então não poderíamos lidar como se fosse uma brincadeira", explicou.

Já sobre Thorin, disse que ficou comovido com as mudanças que seu personagem sofreu durante o terceiro filme: "nós não podíamos alienar o personagem, tínhamos que trazê-lo de alguma forma para mais perto do público e acho que conseguimos isso".

Segundo o ator, o diretor Peter Jackson foi peça fundamental durante todo esse processo. "Peter foi um dos cineastas mais generosos com quem trabalhei. Ele conseguiu conectar muito bem as trilogias de Hobbit e Senhor dos Anéis. Ao final do trabalho, ele me deu de presente a espada e a chave de Erebor originais, ou seja, as mesmas que usei nas gravações. Fiquei muito feliz", revelou.

Armitage ainda comentou que admira as obras de Tolkien desde pequeno. "Li O Hobbit quando tinha sete anos. Foi o primeiro livro que consegui ler sem ajuda", contou. Quando criança, chegou a encenar na Inglaterra uma peça da obra, interpretando um Elfo, já que sempre foi fã do personagem Legolas.

Em sua primeira passagem pelo Brasil, o inglês comentou que admira o país pelo Pelé, Rei do Futebol, e que acompanhou a última Copa do Mundo. "Vi o jogo do Brasil contra a Alemanha. Gosto de futebol, mais pelo meu irmão, que acompanha tudo. Acho que esse esporte e atuar tem muita coisa em comum: você conhece quem faz, quem está no meio, mas nunca sabe como vai terminar", comentou.

Antes de encerrar, Armitage disse sobre o que mais vai sentir falta na trilogia de Peter Jackson. "Vou sentir saudade de muitas coisas, principalmente a amizade que criamos. Conseguimos criar uma comunidade entre todos os envolvidos no filme", concluiu.