Os 33: Rodrigo Santoro diz que trabalhar com Juliette Binoche foi “inesquecível”

Brasileiro interpreta papel importante em drama sobre mineiros chilenos

26/10/2015 19h49

Por Edu Fernandes

Desde As Panteras - Detonando (2003), o galã Rodrigo Santoro (Golpe Duplo) faz sucesso com sua carreira internacional. O novo trabalho do brasileiro é Os 33, longa que conta a história real dos mineiros chilenos soterrados em 2010. Santoro interpreta o representante do governo que comando o processo de busca e resgate.

A produção traz um elenco de peso, que inclui Antonio Banderas (Os Mercenários 3), Juliette Binoche (Acima Das Nuvens) e Gabriel Byrne (Stigmata). Rodrigo falou com exclusividade ao Cineclick sobre esse trabalho, uma das atrações na programação do Festival do Rio 2015.

Você contracena muito com a Juliette Binoche, mas o papel deveria ser da Jennifer Lopez. Como recebeu a notícia da mudança?

Rodrigo – Foi uma grande alegria, não por causa da Jennifer, com quem já trabalhei em O que Esperar quando se Está Esperando, mas porque sou um grande admirador da Juliette Binoche. Eu percebi que trabalhar com ela seria uma oportunidade incrível de aprender. No final, foi uma experiência inesquecível!

Como foi trabalhar no Deserto do Atacama? Foi sofrido?

Rodrigo – Para os atores que interpretavam os mineiros foi dose. Eles ficaram em uma mina na Colômbia todo dia! No deserto foi um grande desafio, por causa das intempéries e do clima, muito calor de dia e frio de noite. A gente não tinha acesso a quase nada, nosso hotel ficava a trinta minutos da cidade mais próxima. Ficamos isolados, mas ao mesmo tempo foi incrível. O Deserto do Atacama é um personagem do filme e eu gostava de ficar sentado observando a paisagem nos intervalos de gravação, em uma busca de inspiração.

E o sofrimento da história?

Rodrigo – O sofrimento dos personagens realmente foi intenso em vários pontos. Além do isolamento, tinha a problemática da mídia, os familiares do lado de fora,... se não fosse real, todo mundo diria que seria invencionice de Hollywood!

Como é contar uma história real tão conhecida?

Rodrigo – O mais interessante foi ver se o roteiro fazia sentido e uma sacada muito boa foi o enfoque. A história foi documentada pela mídia, todo mundo sabe o que acontece. O roteiro é feito a partir de entrevistas com os mineiros, as famílias e jornalistas. Então aquela representação é o olhar deles e das famílias. Isso me pareceu genial, porque o filme traz coisas que a gente não tinha acesso.

Apesar dos personagens de Os 33 serem chilenos, eles falam inglês. Você planeja voltar a atuar em espanhol?

Rodrigo – Eu fiz curso de espanhol para fazer Leonera e Che e sem dúvida eu quero voltar a atuar em espanhol. A escolha de um projeto é baseada em uma série de coisas e, se achar uma boa história em espanhol, vou participar.

Podemos esperar a sua volta para o cinema brasileiro?

Rodrigo – Sim, mas nada que possa divulgar. Estou em um momento de entendimento e agora consigo me organizar melhor. Estou finalizando o seriado Westworld, que estreia no ano que vem pela HBO, e consigo procurar projetos no Brasil. Estou aberto para cinema, teatro e até televisão, que faz tempo que não faço.

 A estreia comercial de Os 33 está marcada para 29 de outubro. Veja o trailer:


OS 33 por cineclick