Saiba tudo sobre Rei Arthur: A Lenda da Espada e outras versões

Longa estreia no serviço de streaming

25/10/2020 17h00

Por Daniel Reininger

Charlie Hunnam estrela Rei Arthur - A Lenda Da Espada está na Netflix e é destaque da TV neste domingo. O ator interpreta uma versão modernizada do lendário personagem no filme de Guy Ritchie e contamos um pouco sobre o longa e o mito.

No filme, Arthur é um jovem criado em um bordel, não conhece sua linhagem real e se torna influente nas ruas de Londres. Apesar das diferenças com os elementos mais conhecidos da lenda, o ator se diz fã das histórias arthurianas e gosta da ideia de poder atualizar o personagem. "Acho que você tem uma responsabilidade maior se vai contar uma história que já foi contada inúmeras vezes. Você precisa trazer algo único, transformá-la em algo original, novo, mas, ao mesmo tempo, fiel", explicou ao Cineclick quando esteve no Brasil para divulgar o longa.

A Lenda da espada

O diretor Guy Ritchie (Snatch - Porcos e Diamantes) faz uma versão modernizada da lenda do Rei Arthur, dessa vez com foco no entretenimento e pegada de filme de super-herói. O longa adiciona elementos pop à velha história e Arthur (Charlie Hunnam) deve aprender a aceitar que ele não é apenas um criminoso que conquistou status nas ruas da Londres antiga, mas sim filho de Uther Pendragon (Eric Bana) e verdadeiro rei da Inglaterra. 

Djimon Hounsou e Aidan Gillen são boas companhias para o protagonista com seus personagens, Bedivere e Bill respectivamente. Jude Law vive o terrível vilão Vortigern. Ao Cineclick, o ator ainda comentou a participação de David Beckham no filme. O jogador de futebol aparece como guarda que protege a espada Excalibur cravada na rocha. "Claro que eu sabia quem ele era. No começo, era mais um colega de filmagem, mas no final estava tão animado com a presença dele quanto os outros. Pra mim, ele fez um ótimo trabalho, levou tudo muito a sério. Até contratou um consultor de atuação", conta Hunnnam.

Veja o trailer:

Essa é a história da lenda da espada, e Arthur não é nada sem sua Excalibur. E não só porque é uma arma lendária, também por conter o poder de Merlin e, efetivamente, ser capaz de vencer batalhas sozinha, o que deixa tudo muito fácil e tira o suspense das batalhas. O caminho do protagonista até dominar a arma lembra muito a história de origem dos super-heróis.

A mão de Guy Ritchie fica clara em diversos momentos, principalmente nas cenas das ruas de Londres, dominadas por bandidos, gangues e valentões.

O longa tem algumas cenas realmente boas, lutas inspiradas, perseguições cheias de adrenalina, ação desenfreada e alguns diálogos bem criativos, cenas que realmente funcionam. Sem falar que o mundo apresenta forças místicas misteriosas, magos e outros elementos fantásticos interessantes, assim como uma viva representação do submundo londrino na baixa idade média.

É entretenimento puro, para assistir com amigos e comendo pipoca.

A lenda

De acordo com as histórias medievais, Rei Artur é um líder britânico responsável pela defesa da Grã-Bretanha contra os invasores saxões no final do século V e no início do século VI. As histórias Arturianas são basicamente invenções literárias e sua existência histórica é motivo de debate acadêmico até hoje.

Artur é uma figura central das lendas classificadas atualmente como Matéria da Bretanha. O lendário Rei Artur começou a despertar grande interesse internacional através da popularidade da crônica fantástica e imaginativa Historia Regum Britanniae (História dos Reis da Bretanha), criada pelo clérigo galês Godofredo de Monmouth.

Embora os temas, eventos e personagens das lendas Arturianas variem significativamente de texto para texto, a versão de Godofredo é a mais usada como ponto de partida para histórias posteriores. O clérigo galês retratou Artur como um rei da Bretanha que derrotou os saxões e estabeleceu um império na Bretanha, Irlanda, Islândia, Noruega e Gália. Muitos elementos e incidentes que hoje integram parte da lenda Arturiana aparecem na Historia de Godofredo, incluindo o pai de Artur Uther Pendragon, o mago Merlin, a esposa de Artur Genebra, a espada Excalibur, Mordred e Avalon.

O escritor francês do século XII, Chrétien de Troyes, adicionou à história o cavaleiro Lancelote e a busca pelo Santo Graal. Ele começou a tradição dos romances Arturianos, gênero importante na literatura medieval. Nessas histórias, a narrativa foca tanto em Artur quanto em outros personagens, como os Cavaleiros da Távola Redonda. A literatura Arturiana floresceu na Idade Média, mas declinou nos séculos seguintes até ser ressuscitada no século XIX.

No século XXI, a lenda continua na literatura, teatro, cinema, televisão, quadrinhos, jogos.

Outros longas

Para quem gosta da lenda Arturiana, existem algumas produções que valem a pena serem conferidas, para o bem ou para o mal, sobre o rei Arthur, além de Rei Arthur - A Lenda Da Espada (2016). São elas:

Rei Arthur (2004)

Na trama, Arthur (Clive Owen) quer apenas deixar a Grã-Bretanha e voltar para a pacífica e estável Roma. Antes que possa fazer isso, uma missão final o leva, juntamente aos Cavaleiros da Távola Redonda -- Lancelot (Ioan Gruffudd), Galahad (Hugh Dancy), Bors (Ray Winstone), Tristan (Mads Mikkelsen) e Gawain (Joel Edgerton) --, à conclusão de que, quando Roma cair, a Grã-Bretanha precisará de um líder. Sob a orientação de Merlin (Stephen Dillane), um antigo inimigo, e com a linda e corajosa Guinevere (Keira Knightley) a seu lado, Arthur terá de modificar o curso da história.

Lancelot - O Primeiro Cavaleiro (1995)

A história é focada no triangulo amoroso entre Sir Lancelot (Richard Gere), Rei Arthur (Sean Connery) e Guinevere (Julia Ormond). Quando o boêmio e espirituoso Lancelot salva a bela Guinevere do ataque de um ex-cavaleiro, Sir Malagant, eles se apaixonam à primeira vista. Só que a donzela está a caminho de Camelot para se casar com o rei Arthur; Pouco tempo depois, Lancelot é nomeado cavaleiro do rei mas não conta a ele que conhece sua futura noiva. No reencontro com Guinevere, os dois precisam decidir entre o verdadeiro amor e a lealdade ao rei.

Excalibur, a Espada do Poder (1981)

Na história, o mago Merlin (Nicol Williamson) entrega a mística espada Excalibur ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne). Em uma armadilha, o dono Uther é gravemente ferido, mas, segundos antes de morrer, crava a espada em uma pedra. O bravo cavaleiro que conseguisse retirá-la da pedra se tornaria o novo rei, fato que ninguém conseguiu durante anos. Muito tempo passou e, somente quando o país estava dividido em guerra entre os senhores feudais, Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Começa uma disputa mortal pelo trono e pelo poder.

Monty Python Em Busca Do Cálice Sagrado (1975)

Na comédia do grupo inglês, o Rei Artur sai à procura de cavaleiros que o acompanhem em uma jornada histórica: a busca do Santo Graal. Aparecem então Sir Lancelot, o Bravo; Sir Robin, o Não-Tão-Bravo-Quanto-Sir-Lancelot; Sir Galahad, o Puro, entre outros personagens surreais. 

A Espada Era A Lei (1964)

Na animação, Arthur é um jovem garoto, aspirante a escudeiro de cavaleiro. Sua vida começa a mudar quando encontra Merlin, um poderoso, porém atrapalhado mago, que sabe que o futuro de Arthur é empunhar a espada fincada na pedra, cumprindo a profecia de se tornar o novo Rei da Inglaterra.


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus