cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    100 anos de Clarice Lispector; A Hora da Estrela e outros filmes baseados em sua obra

    Uma das autoras mais importantes do país completaria 100 anos nesta quinta (10)
    Por Thamires Viana
    10/12/2020

    Em 10 de dezembro de 1920 nascia Clarice Lispector, uma das mais importantes escritoras brasileiras que completaria 100 anos nesta quinta-feira (10). Mesmo nascida na Ucrânia, Clarice sempre se considerou brasileira, já que veio com a família para o país quando tinha apenas 02 anos de idade.

    Tendo cursado Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, a escritora e jornalista direcionou o seu entusiasmo para a Literatura e trouxe ao mundo obras marcantes dividas em contos, novelas e romances que inspiraram grandes longas do cinema nacional como A Hora Da Estrela e O Corpo.

    Para celebrar esse dia, relembre as obras de Clarice Lispector que foram adaptadas para o cinema:

    A Hora da Estrela

    Baseado no romance homônino de Clarice escrito em 1977, o longa foi para as telonas em 1985 comandado pela diretora Suzana Amaral, que fazia sua estreia no cargo de direção. Considerado um dos filmes mais importantes da década no cinema nacional, A Hora Da Estrela acompanha Macabéa, personagem vivida brilhantemente por Marcélia Cartaxo, que ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Berlim em 1986. 

    A Hora da Estrela

    A moça é uma imigrante nordestina semi-analfabeta que trabalha como datilógrafa em uma pequena firma em São Paulo e vive em uma pensão miserável na cidade. Casualmente, ela conhece o também nordestino Olímpico, vivido aqui por José Dumont, um operário metalúrgico com quem começa um desajeitado namoro.

    No entanto, Glória (Tamara Taxman), uma colega de trabalho de Macabéa, acaba seduzindo Olimpico e roubando o namorado da amiga, afirmando que está seguindo o conselho de uma cartomante. Macabéa então faz uma consulta com a mesma cartomante, Madame Carlota, papel cômico de Fernanda Montenegro, que prevê seu encontro com um homem rico, bonito e carinhoso no futuro.

    O Corpo 

    A adaptação do romance A Via Crúcis do Corpo, conto de Clarice de 1974, chegou aos cinemas como uma comédia hilária pelas mãos do diretor José Antonio Garcia e roteiro assinado por ele em parceria com Alfredo Oroz. O filme saiu vencedor de cinco prêmios no Festival de Brasília, incluindo Melhor Filme.

    Com um elenco estelar, O Corpo segue Xavier, personagem de Antônio Fagundes, que vive de maneira pacífica com as duas esposas Carmem (Marieta Severo) e Bia (Claudia Jimenez), uma história avessa a de Dona Flor e Seus Dois Maridos. Tudo corre às mil maravilhas com o trio amoroso, até que ele se envolve com a prostituta Monique (Carla Camurati), que trabalha no cabaré da cidade. Tanto a nova amante quanto as duas esposas decidem tomar uma decisão surpreendente em relação a Xavier.

    Ruído de Passos

    O curta lançado em 1996 foi baseado no conto homônimo que Clarice escreveu em 1974 retratando o tema da sexualidade na terceira idade. Com roteiro e direção de Denise Gonçalves, a história acompanha Dona Cândida Raposo, uma viúva de 81 anos que ainda mantém desejos em sua idade. Ruído de Passos resgata as memórias emotivas da idosa, além de seguí-la nos exames de rotinas para saber o que está errado e retratar a resolução de seu "problema".

    O filme estrelado por Renée Gumiel, Sylvie Laila, Fabrício Dalla e Berta Zemel foi premiado na categoria de Melhor Atriz para Renée no Festival de Gramado de 1996. (via Acervo MIS)

    A Paixão Segundo G.H.

    Lançado em 1964, o romance homônimo ganhará as telas em celebração ao centenário de Clarice. Dirigido por Luiz Fernando Carvalho, o filme tem um roteiro assinado por ele em parceria com Melina Dalboni e será estrelado pela atriz Maria Fernanda Cândido, que também assina como produtora executiva.

    Na história cercada de reflexões, G.H. é uma escultora da elite artística do Rio de Janeiro que demite sua empregada e resolve arrumar sozinha sua cobertura em Copacabana. Durante a faxina, ela se depara com uma enorme barata e se vê diante de uma reflexão sobre a sociedade repleta de preconceitos e passa a questionar todas as convenções sociais, patriarcais e religiosas que aprisionam as mulheres até a atualidade.

    A Paixão Segundo G.H. tinha previsão de estreia para este ano, mas devido à pandemia do Coronavírus chegará aos cinemas em 2021. 

    O Livro dos Prazeres

    Outro título que chegará em breve aos cinemas trazendo a obra da escritora como foco é esse adaptado do romance Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres de 1969. Com direção de Marcela Lordy e roteiro escrito por ela junto com Josefina Trotta, o longa foi exibido na 44ª Mostra Internacional de São Paulo neste ano. 

    O filme vai ambientar a história de Clarice para os dias atuais acompanhando Lóri, uma mulher solitária e melancólica que trabalha como uma professora de Ensino Fundamental. Ela divide o tempo entre o trabalho e os relacionamentos amorosos, que são sempre rápidos e superficiais. Mas isso muda quando ela conhece o argentino Ulisses, um renomado professor de filosofia que tem como característica seu lado egocêntrico e provocador. Apesar de demonstrar não entender nada sobre as mulheres, Ulisses assume um lugar importante na vida de Lóri e a ensina a amar e a enfrentar sua própria solidão.

    O Livro dos Prazeres traz no elenco Simone Spoladore, Javier Drolas, Felipe Rocha, Gabriel Stauffer, Martha Nowill e Teo Almeida. A previsão de estreia é para 2021.


    Veja também:

    Adaptações para o cinema: como a arte deve extrapolar o formato

    Filmes nacionais que vão te dar orgulho de ser brasileiro

    Os filmes brasileiros que já disputaram vaga no Oscar