cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    A arte de tirar a roupa nas telonas não é pra qualquer uma

    Por Da Redação
    18/01/2008

    Fazer cenas de strip-tease não é para qualquer um. Não basta ter um corpinho bonito e sair rebolando enquanto tira a roupa. Aliás, é preciso muito mais que isso. A sensualidade dos movimentos e o sex-appeal são os responsáveis por levar o público ao delírio em cenas que marcaram o cinema e são recriadas até hoje.

    Impossível falar do assunto e não mencionar Demi Moore no filme cujo próprio título já diz tudo: Striptease, de 1996. Apesar do longa não ser um de seus melhores trabalhos como atriz, a bela arrancou suspiros da platéia masculina ao exibir seu corpo sarado aos 34 anos, na época. Demi mostrou que tem talento fazendo acrobacias em uma cadeira.

    Algumas preferem um strip-tease mais exótico como o que Salma Hayek ofereceu no filme Um Drink no Inferno. Acompanhada por uma cobra píton albina, a voluptuosa vampira abusa do cenário e da fantasia para hipnotizar a público com uma dança extremamente sensual.

    Há diversas maneiras de tirar a roupa, mas para isso não precisa ser uma stripper profissional. Kim Basinger provou isso em 9 1/2 Semanas de Amor. A bela loira usou e abusou do jogo de luzes e da camisola transparente para exibir seu "talento". Com certeza, essa cena inspirou muitas mulheres a quebrarem a rotina de seus relacionamentos, assim como Jamie Lee Curtis em True Lies. A atriz provou que, mesmo aos trancos e barrancos, uma dona de casa pode fazer um homem como Arnold Schwarzenegger perder a cabeça. Basta imaginação e uma boa música.

    A febre do momento é o pole dance, estilo de dança sensual que tem se tornado cada vez mais popular ao ser divulgado na TV. Nascido nos clubes de strip-tease do Canadá, a dança pode ser vista em vários filmes, mostrando mulheres e suas acrobacias em um cano. Assim como fez Lindsay Lohan no longa Eu Sei Quem me Matou. Você poderá conferir a performance da polêmica atriz em breve, quando o filme chegar às locadoras.

    Outra forma de exibir as curvas em movimentos mais do que sensuais é por meio da lap dance. Uma forma mais arriscada, já que a stripper conta com a compreensão do cliente que fica sentado enquanto a bela se exibe e se esfrega no homem que não pode tocá-la. Nem todos são tolerantes a ponto de ficarem quietos. A personagem de Rebecca Romijn-Stamos quase foi estuprada em Femme Fatale. Durante uma lap dance, ela foi tão provocante que precisou ser salva por Antonio Banderas, que acompanhava os movimentos da estonteante dançarina de longe. Pensando bem, ser salva por Banderas não é tão ruim assim...

    A maior prova de que o cinema adora um clima provocante de strip-tease é a quantidade de cenas marcantes que poderia resultar em uma lista sem fim. Mas não podemos deixar de lado duas beldades que, recentemente, passaram a povoar o imaginário masculino com suas performances de dança erótica. Natalie Portman, em Closer - Perto Demais, e Jessica Alba, em Sin City - A Cidade do Pecado. Apesar de não tirarem a roupa, ambas mexeram com a imaginação do público.

    Depois dessas dicas, agora é só usar e abusar da criatividade, seja como fonte de inspiração para as mulheres ou mesmo como sonho de consumo para os homens.