cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    'Alice in Borderland' é melhor que Round 6, pode acreditar

    Série japonesa voltou a ser destaque na onda de Round 6
    Por Daniel Reininger
    05/10/2021 - Atualizado há 18 dias

    Round 6 se tornou um enorme sucesso na Netflix, superando até mesmo o fenômeno La Casa de Papel, mas obviamente essa não é a primeira história a colocar pessoas para participarem de jogos mortais em busca de dinheiro, fama ou sobrevivência. 

    São muitos outros conteúdos com a mesma temática, então nem vamos entrar no mérito de comentar sobre Jogos Vorazes ou Battle Royale, ou até mesmo Rollerball, mas sim de uma série da Netflix, que trabalhou o tema de forma muito mais interessante do que Round 6: Alice in Borderland.

    A série

    Com suas muitas influências de séries e animes, personagens carismáticos e ação desenfreada, Alice in Borderland é uma série japonesa de ficção científica e suspense baseada no mangá de mesmo nome criado por Haro Aso.

    Na trama, Arisu é um jovem apático, desempregado e obcecado por videogames, que se encontra perdido em uma Tóquio abandonada ao lado de seus melhores amigos, Chōta (Yûki ​​Morinaga) e Karube (Keita Machida). 

    O trio rapidamente descobre que estão presos em uma cidade na qual são forçados a participar de jogos arriscados, violentos e perigosos, ultrapassando seus próprios "limites físicos e emocionais" a fim de sobreviver. 

    Neste mundo estranho, Arisu conhece Usagi, uma jovem que está navegando nos jogos sozinha e se torna sua parceiro na tentativa de desvendar o mistério por trás do bizarro jogo.

    Opinião

    Alice in Borderland se destaca imediatamente pela ambientação magnífica, capaz de criar medo e tensão em uma Tóquio abandonada, porém repleta de desafios. O enredo é sempre cativante e os jogos se tornam cada vez mais complexos conforme o tempo passa.

    Releitura da história de Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll, com um toque moderno e violento, a série se beneficia também das diversas referências a outras obras, como Senhor das Moscas, além de não ter medo de mostrar o pior e o melhor do ser humano.

    Fato positivo auxiliado pelo fato da narrativa aprofundar bem seus personagens, capazes de crescerem mesmo em situações de desespero. É visível a luta de cada um para não deixar a humanidade de lado, principalmente enquanto nutrem novas relações, que se desenvolvem de jeitos inusitados e, muitas vezes, terminam de maneira trágica. 

    Além disso, os flashbacks lembram o que acontece na série Lost e também é uma maneira a desenvolver os personagens, que se tornam cada vez mais fascinantes conforme os conhecemos melhor.

    Melhor que Round 6

    Para melhorar, cada um dos episódios traz um novo desafio que os amigos precisam resolver, com enigmas e códigos, de forma que o ritmo de suspense se mantém até o fim. Seja em um jogo de esconde-esconde de explodir cabeças ou um massacre sangrento, cada tarefa caótica é capaz de surpreender.

    O senso de humor também é uma característica da produção, que consegue ter momentos leves mesmo em meio à toda a tensão e violência. A produção é engenhosa, a ação bem coreografada, sem falar que os games são inteligentes e os personagens verossímeis, então é fácil curtir a série.

    A capacidade de aguçar a curiosidade dos espectadores é outro fator positivo de Alice in Borderland. Justamente quando o público pensa que vai descobrir tudo, as coisas tomam um rumo novo e o próximo estágio do jogo é revelado ou alguma pista do que está por trás de tudo é descoberta. A trama evolui, mas sem revelar completamente seus segredos, apenas deixa escapar o suficiente para instigar a imaginação.

    São muitas camadas e mistérios aqui, trabalhados com intensidade e de forma divertida. Tudo isso, sem deixar as críticas sociais de lado. É por isso tudo que a série consegue superar Round 6 em diversos aspectos. Mais diversão, mais criatividade e melhores personagens, capazes de realmente evoluírem em uma situação absurdamente adversa.

    Vale assistir

    A série estreou com oito episódios na Netflix em dezembro de 2020 e foi recebida com críticas positivas. O sucesso foi tanto que, duas semanas após o lançamento da primeira temporada, o serviço renovou o programa para uma segunda. 

    Se você gosta de Round 6, Jogos Vorazes e tantos outros conteúdos com essa temática, Alice in Borderland é imperdível. Veja o trailer:

    Veja mais