cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Por que ver um filme no cinema faz toda a diferença?

    Muitas vezes, a qualidade de imagem e som garante que a experiência do público seja ainda melhor
    Por Thamires Viana
    19/09/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Comprar os ingressos, encontrar a companhia perfeita, parar para pegar a pipoca e sentar em uma sala escura com uma tela gigante à frente. Realmente ir ao cinema é uma das experiências mais prazerosas que alguém pode ter. 

    Para muitos, a ideia de ver um filme com imagem e som de qualidade é a maneira ideal de admirar uma obra. Para outros, une-se ainda a experiência de fazer alguma coisa fora da rotina, se encontrar com os amigos e ter assunto pelas próximas horas, além de, claro, saber se aquele filme irá suprir as expectativas criadas desde o trailer.

    Algumas produções, inclusive, trazem muito além de roteiros interessantes e personagens carismáticos. São projetos quase sensoriais, o que aumenta ainda mais o apelo em vê-los na telona.

    Cena de Um Lugar Silencioso (2018)Reprodução

    O terror Um Lugar Silencioso, por exemplo, é um daqueles que ver no cinema garante total imersão na trama. Para quem ainda não sabe bem do que se trata, o longa comandado por John Krasinski acompanha uma família que se vê em meio a um grande perigo e, por isso, deve se manter em total silêncio. 

    Quando conferi o primeiro filme lançado em 2018 nas telonas, foi realmente uma experiência fora do normal. As luzes totalmente apagadas, o celular desligado e o som de alta qualidade nos momentos mais tensos da trama garantiram que eu sentisse as emoções dos protagonistas à flor da pele. 

    Todos na sala de cinema pareciam entender o intuito do filme e, de início, já mantiveram o silêncio proposto pela produção. A imersão fez com que eu saísse do cinema com aquela sensação "desnorteada" e passasse algumas horas tentando digerir o que tinha visto. 

    Posteriormente, me peguei pensando se ver o filme em casa teria o mesmo efeito, já que algumas coisas poderiam me tirar a atenção e me desprender daquela "hipnose" que só o cinema garante. 

    Isso aconteceu com O Som do Silêncio, longa estrelado por Riz Ahmed que venceu o Oscar de Melhor Som em 2021. Ter assistido na TV de casa não deixou o filme tão imersivo quanto eu gostaria, o que acabou gerando algumas distrações durante o seu decorrer. Lançado diretamente no catálogo do Amazon Prime Video, O Som do Silêncio seria um longa ideal para ir às telonas. 

    Cena do filme O Som do SilêncioReprodução

    Para a radialista Franciele Barradas, a mesma falta de imersão aconteceu com um dos grandes sucessos do cinema. "As Aventuras de Pi é um filme emocionante e incrivelmente lindo. Umas das coisas que mais me arrependo é não ter ido assisti-lo no cinema. Vê-lo em casa, em uma televisão pequena, já foi uma experiência muito marcante, na telona teria sido inesquecível", pontua ela.

    O longa comandado por Ang Lee em 2012 chamou a atenção do público pelo incrível trabalho de fotografia e efeitos visuais inseridos nele. Não à toa, o longa conquistou os Oscars dessa categoria em 2013 e se tornou referência quando o assunto é impressionar com qualidade técnica.

    Franciele ainda reflete sobre sua experiência ao conferir o longa Bohemian Rhapsody, longa que retrata uma parte da vida de Freddie Mercury, líder da banda Queen. Lançada em 2018, a produção traz imagens de shows do grupo, o que, de cara, já garante muita diversão aos fãs de música. "Ver Bohemian Rhapsody no cinema foi uma experiência incrível! Foi como estar realmente no show, no palco, lado a lado com o Queen. Porém, quando assisti em casa novamente não teve o mesmo impacto", afirma. 

    Cena de Bohemian RhapsodyReprodução

    Whiplash: Em Busca da Perfeição, longa de Damien Chazelle lançado nos cinemas em 2015, também traz ao público um processo de imersão gigantesco. Focada no drama de um baterista que sonha em ser o melhor de sua geração, a produção mergulha momentos de pura tensão e desequilíbrio mental do personagem, garantindo assim que as emoções dele sejam passadas ao público.

    "Com certeza a experiência teria sido diferente. Mesmo tendo assistido na minha sala com home theater, certamente seria mais imersiva no cinema. O ambiente escuro, o som estéreo que te envolve, tudo isso deve ter engrandecido ainda mais o filme. Uma pena que perdi essa, se adorei assistindo em casa, teria pirado se tivesse assistido no cinema", afirma Carolina Esteves

    Cena de filme Whiplash: Em Busca da PerfeiçãoReprodução

    E quando uma produção te coloca praticamente "dentro" das cenas? Se você conferiu o drama 1917, de Sam Mendes, deve entender do que estamos falando. Gravado em formato de plano-sequência, o vencedor do Oscar de efeitos visuais e fotografia, fez o público embarcar em uma das maiores experiências cinematográficas nos últimos anos. 

    Para o jornalista Daniel Reininger, conferir o filme em IMAX garantiu que toda a qualidade de som e imagem fosse apreciada com ainda mais veracidade. "1917 me marcou ao ver nos cinemas exatamente pela maneira como o filme nos prende. Ver as incríveis cenas de guerra e o plano-sequência seguidos de uma ótima qualidade de som deixou o filme ainda mais impactante", afirma. 

    Outro que deixou as emoções à flor da pele para ele foi Gravidade, filme de Alfonso Cuarón estrelado por Sandra Bullock que se tornou o maior vencedor do Oscar no ano de 2014. Contando a história de uma astronauta que fica perdida no espaço, o drama trouxe até mesmo reações físicas ao jornalista. "Gravidade chegou a me dar náuseas tamanha a imersão que causa, ainda mais nas telas do cinema", completa ele.  

    Cena do filme GravidadeReprodução

    O fator nostalgia também impacta quando o assunto é cinema. Para mim, uma das produções mais marcantes em ver nas telonas foi o clássico Titanic, de James Cameron. Lançado em 1997, o drama do naufrágio voltou às salas brasileiras e garantiu uma emoção tremenda ao embarcar na triste história com muita qualidade.

    As cenas mais impactantes do filme, incluindo a mais triste entre Rose (Kate Winslet) e Jack (Leonardo DiCaprio), ganharam ainda mais sensibilidade e detalhes na tela grande. Além disso, a energia do público na sala contagiou a sessão e fez dela uma experiência inesquecível! 

    Confira uma lista de filmes que ficaram ainda melhor nas telonas do cinema:

    E para você? Qual filme foi o mais marcante em conferir nas telonas do cinema? Conta pra gente nas nossas redes sociais!

    Veja também: