cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    And the Oscar goes to... Não está tão fácil assim dizer quem será o vencedor

    12 Anos de Escravidão surge como favorito, mas Gravidade e Trapaça podem estragar a festa de Steve McQueen
    Por Roberto Guerra
    28/02/2014
    12 Anos de Escravidão

    Faltam poucas horas para a entrega do Oscar 2014, na noite deste domingo (2), e cinéfilos de todo o mundo fazem suas apostas em quem será o grande vencedor desta edição. Mas não está tão fácil assim cantar quem vai levar a estatueta de melhor filme para casa. Só é possível dizer com exatidão quem não leva: Capitão Philips, Ela, Clube de Compras Dallas, O Lobo de Wall Street, Nebraska e Philomena – estes fazem figuração na lista.

    12 Anos de Escravidão é o favorito, mas não se surpreenda se ouvir outro nome depois do famigerado "and the Oscar goes to...". O filme de Steve McQueen sobre escravidão vem recebendo elogios entusiasmados da imprensa e faturado muitos prêmios. Concorre em nove categorias, tem três atores indicados e é do tipo de história que se dá bem no Oscar – seu personagem central passa por inúmeras provações até a redenção final. Mas existem outras variantes a se considerar.

    A primeira delas é que, em grande parte das premiações, 12 Anos de Escravidão ganhou como melhor filme e perdeu o prêmio de direção para Gravidade, de Alfonso Cuarón. Isso significa que o longa perde força por não perfazer o retrato de grande vencedor que Academia adora. Não podemos esquecer que dos últimos dez premiados na categoria, oito ganharam em direção também (a exceção foi Argo ano passado. E a Academia não é muito afeita a exceções). Pesa também contra 12 Anos a divisão inédita do prêmio do Sindicato dos Produtores, de novo com Gravidade.

    Gravidade
    Continua após o anúncio

    Gravidade, que corria por fora, e aparentemente ficaria restrito ao circuito de prêmios técnicos, ganhou força com as dezenas de prêmios em que Alfonso Cuarón venceu no lugar McQueen. O cineasta ganhou o Globo de Ouro, o Critics Choice, o prêmio do Sindicato dos Diretores e foi laureado junto com 12 Anos pelo Sindicato dos Produtores. Por seu enredo, 12 Anos de Escravidão ainda é o favorito, mas desconsiderar a força de Gravidade seria um erro.

    O confronto entre dois filmes na reta final do Oscar não é novidade. Basta lembrarmos da disputa entre Avatar e Guerra ao Terror (2010), O Discurso do Rei e A Rede Social (2011) e Argo versus As Aventuras de Pi (2013). Mas neste ano é possível dizer que temos um terceiro filme no páreo: Trapaça, de David O. Russell. Suas chances, no entanto, surgem por outros motivos.

    Das premiações significativa que antecedem o Oscar, Trapaça não levou muita coisa. Foi eleito o melhor filme pelos críticos de Nova York e a melhor montagem pelo Sindicato dos Montadores. Fora isso, O. Russell emplacou pelo segundo ano consecutivo quatro integrantes de seu elenco entre os indicados.

    Mas a força de Trapaça surge de seu caráter alternativo. 12 Anos de Escravidão é do tipo de filme que faz o perfil vencedor de Oscar, mas por não ter conseguido fechar o pacote filme-direção e ser coprodução inglesa (e talvez a Academia não esteja disposta a premiar mais uma vez os inglêses), isso pode abrir espaço para que os votantes sigam caminho diferente. E para quem não quiser eleger Gravidade por considerá-lo comercial demais, Trapaça surge como opção.