cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Animações: como a adaptação vai muito além da fantasia

    Animações no cinema!
    Por Da Redação
    05/10/2020 - Atualizado há 8 meses

    Live action pode ser definido como produção que envolve pessoas e animais reais. Já a animação, por sua vez, é definida como uma série de imagens em movimento, desenhadas, modeladas ou geradas por computador.

    Com o desenvolvimento da tecnologia, as produções audiovisuais passaram a misturar as duas técnicas, a fim de criarem sequências, cenários e seres que não existem no mundo real, ou que são muito difíceis de serem desenvolvidos de maneiras tradicionais.

    Porém, o termo está em evidência principalmente graças à Disney, cujos lançamentos mais recentes incluem live actions de algumas de suas obras mais célebres.

    Essa nova safra é baseada nas antigas animações, que permitiam aos artistas envolvidos imprimirem sua própria assinatura e estilo nos personagens, algo que está presente na Disney desde a época dos "Nove Anciões", apelido dado ao grupo de animadores que inaugurou as atividades do estúdio em 1932.

    Hoje, com "Aladdin", "Mulan", "A Bela e a Fera", "A Pequena Sereia", dentre outros, o desafio é preservar o encantamento das animações enquanto explora as dimensões de um novo formato, recheado de atores querido pelo público - ou de novas estrelas em ascensão.

    Mas adaptações do tipo não são novidade de agora. Na lista a seguir, falamos um pouco sobre essa nova onda da Disney e rememoramos outras adaptações que seguiram o mesmo desafio alguns anos atrás. Acompanhe!

    Animações da Disney

    Malévola (2014-2019)

    Malévola foi concebida como a "senhora de todo o mal" e, desde 1959, reinava como a mais cruel e poderosa das vilãs da Disney.

    Em 2014, porém, o estúdio decidiu mudar a perspectiva da história. Seu nome podia evocar a crueldade da feiticeira tida como vilã, condenando uma bela princesa ao sono eterno, mas sua verdadeira história não era assim tão maniqueísta.

    Estrelado por Angelina Jolie e Elle Fanning, os dois novos longas (Malévola e Malévola - Dona Do Mal, 2014 e 2019 respectivamente) contam a história pelo olhar da vilã de "A Bela Adormecida" (1959), justificando suas ações.

    Cinderela (2015)

    Dirigido por Kenneth Branagh, a versão live action da animação de 1950 procurou ser o mais fiel possível ao desenho. A detentora do papel principal foi Lily James. O filme ainda traz Richard Madden,de Game of Thrones, como o príncipe encantado, Helena Bonham Carter, de Harry Potter, como a Fada-Madrinha, e Cate Blanchett como a Madrasta. 

    O longa lucrou 543 milhões de dólares mundialmente.

    Na pele da atriz, Cinderela é tão bela, gentil e justa quanto a princesa da animação. O filme apenas redimensiona a sua história, a tornando mais humana em um mundo surreal.

    Mogli - O Menino Lobo (2016)

    Quando o projeto foi anunciado, tendo Jon Favreau como seu diretor, muita gente duvidou que os personagens de Rudyard Kipling conseguiriam ganhar vida.

    Porém, o filme arrecadou 965 milhões de dólares mundialmente e foi um sucesso de crítica, conseguindo equilibrar magistralmente a fofura característica da obra original com um tom mais “maduro”, trazendo os perigos reais da selva e adotando uma paleta mais sombria do que a do desenho.

    Isso garantiu sinal verde por parte da Disney para o remake de um de seus clássicos: O Rei Leão.

    Ao mesmo tempo em que "Mogli - O Menino Lobo" (2016) é um típico filme da Disney com alto índice de fofura, potencializado pela concentrações de filhotes e pequenos animais criados em computação gráfica, a nova adaptação ao cinema do clássico livro de Rudyard Kipling não se furta a lidar com o senso de perigo e o potencial de violência da vida na selva.

    Nesse sentido, é um longa que se filia à tradição das melhores animações da chamada era de ouro da Disney, dos anos 1940 a 1950, como Dumbo e Cinderela, que misturavam encantamento com o pavor do isolamento e da perseguição.

    A Bela E A Fera (2017)

    "A Bela e a Fera" (2017), dirigido por Bill Condon, mantém a estrutura de musical com as canções A Bela e a Fera (2017), de Bill Condon, traz algumas novidades para este clássico da Disney, sem, contudo, abandonar o que fez da obra uma das queridinhas do público, como as canções criadas para a animação de 1991.

    O filme traz Emma Watson, Dan Stevens, Ian McKellen,Kevin Kline, Gugu Mbatha-Raw e Ewan McGregor nos papéis principais e conta com o talento de seu elenco para explorar novas facetas dos clássicos personagens.

    Agradando a geração que cresceu com a animação da Disney, o filme foi um sucesso entre o público e também agradou os críticos.

    Aladdin (2019)

    Se na obra original Jasmine se restringia ao papel de par romântico do herói da trama, nesta adaptação ela tem aspirações políticas e é mais empoderada do que sua versão original - uma guinada interessante dos roteiristas do filme.

    A versão live action também se aproveita do talento até então pouco conhecido de Mena Massoud para conceder a Aladdin uma abordagem mais tridimensional e, de certa forma, mais amadurecida de suas motivações e desafios.

    A nova versão também apostou em estrelas para explorar diferenciais desses personagens tão queridos pelo público, trazendo Will Smith para interpretar o Gênio e Guy Ritchie para dirigir o filme.

    Outras animações de destaque

    Os Flintstones - I Yabba Dabba Do! (1994)

    A trama conta a ascensão de Fred Flintstone a vice-presidente da Pedregulho & Cia, após um teste realizado pelo executivo Cliff Vandercave e sua secretária. O que Fred não sabe é que tudo não passa de um plano para mascarar um grande esquema de fraude. Por conta da riqueza repentina, a amizade entre o casal e Barney e Betty fica abalada, mas quando Fred e Wilma são acusados de corrupção, são os Rubbles que fazem de tudo para salvar os vizinhos.

    Com estrelas como John Goodman, Rick Moranis, Elizabeth Perkins e Rosie O'Donnell, o filme chegou aos cinemas em maio de 1994 e arrecadou 341 milhões de dólares ao redor do mundo.

    Porém, a crítica não recebeu o filme tão calorosamente.

    Scooby-doo (2002)

    Scooby-Doo é um dos desenhos animados mais famosos do mundo.

    Não tinha como a fama nas telinhas dar em outra: em 2002, Scooby e sua turma ganharam um live action, sendo interpretados por atores que até hoje surpreendem por sua semelhança com os personagens, como Linda Cardellini, que interpretou Velma, Freddie Prinze Jr., que interpretou Fred, e Sarah Michelle Gellar, que interpretou Daphne.

    O longa também investiu em uma animação surpreendente para a época a fim de dar vida ao cachorro mais medroso (e guloso) da televisão. O resultado foi um filme muito bem recebido pelo público, que inspirou uma continuação: Scooby-Doo 2: Monstros à Solta.

    Garfield, O Filme (2004)

    "Garfield", uma das tirinhas mais conhecidas do mundo e que conta as histórias do gato preguiçoso e que ama lasanha, foi adaptada e chegou aos cinemas com atores e tudo mais.

    Vivendo a vida que sempre quis, Garfield é incomodado quando seu dono, Jon Arbuckle (Breckin Meyer), decide adotar um cachorro, Odie. Contrariado, ele inicia uma disputa particular com Odie, mas quando esse é sequestrado, Garfield se sente responsável e parte para salvar o cachorro.

    Pica-pau (2017)

    O filme live action de Pica-Pau, lançado em 2017, pela fama que o personagem tem em solo brasileiro, saiu apenas nos cinemas daqui - para o restante do mundo, o longa saiu diretamente em DVD. A produção conta a história do protagonista procurando confusões com um empresário que deseja derrubar uma árvore, sua própria casa, para construir uma mansão.

    Turma da Mônica (2018-2020)

    A Turma da Mônica já tem diversos filmes animados, mas em Turma Da Mônica - Laços foi a primeira vez em os personagens criados por Maurício de Souza aparecem representados por atores.

    Na trama, Floquinho, o cachorro de Cebolinha (Kevin Vechiatto), desapareceu. O menino desenvolve então um plano infalível para resgatar o cãozinho, mas para isso vai precisar da ajuda de seus fiéis amigos Mônica (Giulia Benite), Magali (Laura Rauseo) e Cascão (Gabriel Moreira). Ainda há uma continuação prevista para esse ano, 2020, intitulada Turma Da Mônica - Lições.

    Quer conhecer outras adaptações para o cinema? Não perca nosso texto especial sobre o tema: "Adaptações para o cinema: livros, quadrinhos, videogames e animações"!