cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    “Animações finalmente ficaram engraçadas”, diz roteirista Mike De Seve

    No Brasil pela primeira vez, co-roteirista de Monstros Vs. Alienígenas analisa transformações na indústria dos desenhos animados
    Por Ana Carolina Addario
    11/12/2013

    Da Era de Ouro da animação norte-americana de onde nasceram clássicos como os Looney Tunes, passando pela consolidação do universo de príncipes e princesas da Disney até o humor politicamente incorreto dos anos 90, o mundo dos desenhos animados sofreu mudanças profundas durante sua trajetória no século XX. Natural, já que seu público cresceu e se transformou a partir das próprias referências.

    Independente de que história cada desenho revele, uma constatação não pode deixar de ser feita: as animações cinematográficas estão mais engraçadas do que nunca. Pelo menos é o que considera Mike De Seve, diretor de criação da Baboon Animation e responsável pelos sucessos Madagascar e Shrek, além de clássicos da velha-guarda como Beavis e Butt-Head e Vila Sésamo.

    "Demorou, mas finalmente os animadores do cinema aprenderam a ser comicamente mordazes, abandonando as velhas tradições do mercado de animação", afirmou. O cineasta vem ao Brasil pela primeira vez para a masterclass Escrevendo para Animação, que acontece em São Paulo nesta quarta-feira, 11, em São Paulo.

    Em entrevista exclusiva ao CINECLICK, Mike De Seve abriu o jogo sobre as principais transformações no mercado das animações nos últimos anos e revelou a fórmula mágica para criar um desenho divertido.

    Confira abaixo à entrevista completa:

    De Vila Sésamo e Beavis and Butt-Head até Shrek e Madagascar, quais foram as principais mudanças no mundo da animação nas últimas décadas?
    As animações computadorizadas ficaram finalmente engraçadas a partir de 2004. Antes disso, a maioria das produções em computação gráfica soava ruim e falsa. Os produtores exigiam demais de seu público ao pedir que acreditassem em um super-herói incapaz de cerrar um punho ou um personagem que caminhasse como se estivesse andando pela lua. Finalmente animadores de cinema aprenderam a ser comicamente mais mordazes, abandonando as velhas tradições do mercado de animação fundadas pela dobradinha Bob Clampett/Tex Avery (responsáveis pela chamada Era de Ouro da Animação Americana, entre 1930 e 1960, e pela criação dos Looney Tunes).

    Escrever animações hoje é mais fácil do que antigamente?
    Quando se trata de escrever, contar uma história é algo que não muda. As pessoas acham que inovações como narrações interativas vão mudar a maneira como as histórias são contadas. Mas veja, ou você quer jogar um game, ou quer sentar e ouvir alguém contar uma história pra você. São métodos que não se misturam, é como combinar um jantar e uma partida de tênis. Então escrever um bom roteiro ainda é contar uma boa história.

    E para dirigir?
    Quando se trata de dirigir, a situação é similar. Uma boa direção se trata de usar as ferramentas que possui para contar essa grande história. Com o tempo, agregamos novas ferramentas, mas os elementos continuam os mesmos: são personagens em um universo, com objetivos e necessidades humanas, além de cenas cômicas que ligam a história.

    O que as crianças de hoje querem ver em uma animação?
    Existem diversos tipos de crianças hoje em dia, mas elas são basicamente as mesmas da época em que eu era criança também. Fui um garoto apaixonado por ficções científicas e adorava comédias britânicas e esse tipo de criança existe ainda hoje. Uma coisa que explodiu nos Estados Unidos nos últimos anos foi a figura da princesa. É como viciar uma menina pequena em um padrão irreal, coisa pouco recorrente nas animações da geração anterior. Mas as princesas estão ficando cada vez mais legais e duronas do que as primeiras, e isso é muito importante.

    O que é uma comédia punch up e o que o modelo representa para a indústria da animação?
    Um bom punch up é quando você diz exatamente o que está escrito no roteiro mas de uma maneira muito mais engraçada. Em outras palavras, você não repensa a história, você respeita o que o último cara fez. Um bom punch up é quando você transforma a linha de diálogo de uma maneira inesperada até para o personagem que a está dizendo.

    SERVIÇO

    Masterclass com Mike De Seve
    Quando: 11 de dezembro (quarta-feira), entre 9h e 17h,
    Local: MIS - Museu da Imagem e de Som (Avenida Europa, 158 – São Paulo)
    Inscrições: www.44toons.com/forum