cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Os 6 melhores episódios de Black Mirror

    A produção da Netflix criada por Charlie Brooker é conhecida pelas discussões tecnológicas
    Por Da Redação
    10/07/2020 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Black Mirror é um dos fenômenos da Netflix. A série britânica criada por Charlie Brooker criou uma base de fãs sólida desde a sua estreia, em 2011, por trazer discussões sobre tecnologia feitas em uma estrutura dinâmica. 

    Com cinco temporadas, um especial de Natal e um longa derivado interativo, a produção é recheada de histórias diferentes, quase como um compilado de filmes. Portanto, seja qual for a preferência do espectador, Black Mirror provavelmente já trabalhou nisso em algum momento ao longo dos últimos anos. 

    Com uma grande diversidade de temas e tramas, há sempre os episódios que superam outros. Portanto, decidimos fazer o nosso ranking do melhor de cada temporada, além do especial de Natal. Confira: 

    6 - Be Right Back

    Esse episódio consegue fazer o que pode ser considerada a associação perfeita para a série: bons personagens em uma discussão profunda. Na trama, Martha (Hayley Atwell) perde o namorado Ash (Domhnall Gleeson) em um acidente, o que a faz comprar um robô com a aparência do seu falecido amor. 

    O debate presente na trama é totalmente emocional, pois a máquina realiza todos os desejos de Martha. Ele é e ao mesmo tempo não é Ash, então o que o sentimento da protagonista se tornou? É uma indagação que é feita ao espectador e à personagem. 

    Cena de Be Right Back, de Black MirrorReprodução

    5 - White Christmas

    Nunca um ovo se tornou um símbolo tão maluco quanto na trama do especial de Natal. A história começa com uma conversa entre dois homens em um local ártico isolado, mas caminha aos poucos para tecnologias insanas e intrigas familiares. 

    O tom exagerado da trama, que pode ser visto na própria duração de 113 minutos, é bem dosado, principalmente por conta das idas e vindas entre os diálogos sensacionais de Jon Hamm e Rafe Spall.

    Cena de White Christmas, de Black MirrorReprodução

    4 - Striking Vipers

    A quinta temporada proporcionou ao público o melhor episódio de abertura. A premissa mostra dois amigos de longa data jogando um game de realidade virtual. O tema em questão não era inédito na série, como pode ser visto em Playtest, na terceira temporada, porém a dinâmica entre os protagonistas é tão boa quanto a do especial de Natal. 

    Os sentimentos de Danny (Anthony Mackie) e Karl (Yahya Abdul-Mateen II) são estranhados por eles mesmos. Ou seja, a série traz mais uma vez a estrutura do personagem se surpreender junto com o espectador. 

    Cena de Striking Vipers, de Black MirrorReprodução

    3 - San Junipero

    A fofura também existe em Black Mirror? Muito raramente sim, e San Junipero é o maior expoente disso. Kelly (Gugu Mbatha-Raw) e Yorkie (Mackenzie Davis) se apaixonam em uma cidade oitentista. Como sempre, há muitos segredos desvendados sobre aquele lugar ao longo do episódio, o que por si só deixa o espectador de olhos arregalados. 

    O centro destas revelações não deixa de ser o amor em nenhum momento. Consequentemente, esse se torna o episódio mais sensível da série e que aquece o coração do público. 

    Cena de San Junipero, de Black MirrorReprodução

    2 - Black Museum

    Junto com White Christmas, o episódio mais ambicioso da lista; da mesma maneira, a alta expectativa é atendida. Basicamente, a premissa mostra um museu sobre tecnologias macabras no meio da estrada. 

    A narrativa também varia entre a interação de dois personagens, a visitante Nish (Letitia Wright) e o dono do estebelecimento, Rolo Haynes (Douglas Hodge), e outras histórias. O modo como a trama se liga no final é espetacular, provando ser um dos melhores roteiros da série. 

    Cena de Black Museum, de Black MirrorReprodução

    1 - The Entire History of You

    A primeira temporada reserva o melhor episódio da série pela premissa certeira: como seria o mundo se soubéssemos o que cada pessoa faz quando está ou não conosco? 

    Primeiramente, a tecnologia de uma ferramenta ligada aos nossos olhos, que tem a função de uma câmera, é aquela que está em todas as discussões de Black Mirror com a fala: "imagine se existisse". Ser aplicada em uma trama sobre um casal é igualmente precisa, pois cria a empatia do espectador com os dois personagens em questão. 

    Direto e minimalista, The Entire History of You é a pedida ideal para apresentar Black Mirror a quem nunca assistiu.

    Cena de The Entire History of You, de Black MirrorReprodução

    Veja também