BRASÍLIA 2010: Homenagem a Carlos Reichenbach e exibição de Liliam M. inauguram festival

24/11/2010 15h18

Carlos Reichenbach, com sua simpatia e paixão irrestrita ao cinema, abriu com energia o 43º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Liliam M: Relatório Confidencial, pulsante filme de 1975 exibido na noite de terça-feira (23/11), já colocou as expectativas com o festival lá em cima. Será páreo duro para os longas da Mostra Competitiva se igualarem ao filme de Reichenbach.

Nesta quarta-feira (24/11), Carlão, o chamamento carinhoso dado ao realizador pelo meio cinematográfico, compartilhou ideias e contou histórias sobre Liliam M: Relatório Confidencial. A primeira delas: pela precariedade da produção, o diretor teve de dublar vários personagens.

“Eu dublei uns sete, oito personagens”, lembra o diretor de filmes fundamentais como Anjos do Arrabalde, Alma Corsária e Garotas do ABC. Carlão dirigiu, produziu, roteirizou, fotografou escolheu as músicas e dublou em Liliam M.. Sua mulher, Lígia, também faz uma ponta como assistente social. “Nesse tipo de filmagem pobre, o Carlão dizia 'preciso de você, sente aqui e faça isso'”, recorda sua mulher – que também trabalhou como continuísta improvisada nos filmes.

Produções de orçamento pobre, mas com um vigor que encanta mesmo após 35 anos da realização. Liliam M: Relatório Confidencial, autointitulada “uma tragicomédia de aventura”, conta a história de Maria (Celia Olga Benvenutti), uma mulher infeliz que mora na roça. Quando surge um caixeiro-viajante picareta, ela ruma para a cidade e se torna Liliam, uma mulher que se depara com inúmeros tipos da sociedade brasileiro dos tempos de ditadura militar, da elite careta ao industrial colaboracionista.



“A minha grande experiência nesse filme foi misturar gêneros cinematográficos com atores de diferentes escolas dramáticas, do TBC [Teatro Brasileiro de Comédia], da EAD [Escola de Arte Dramática”. Liliam M. atravessa a chanchada, o cinema político e erótico, o anarquismo das associações entre músicas que remetem ao sublime e imagens que mostram o drama. “É um filme feito em cima de metáforas”.

Na abertura do Festival de Brasília, foi exibida a cópia integral com o corte de 120 minutos – a mesma lançada em DVD pelo selo de arte Lume. Uma comédia divertidíssima, com diálogos antológicos amarrados com sofisticação narrativa, de montagem e uma energia viva de fazer cinema. Liliam M: Relatório Confidencial teve público de quase 500 mil espectadores nos cinemas entre 1975 e 76.

“Houve uma época que qualquer filme médio tinha esse público. Mas o cinema custava uma passagem de ônibus, não R$ 18”, constata Carlão.

Novo filme

Além de olhar para o passado, Carlos Reichenbach anunciou que vai voltar a filmar e resolver uma das questões que faltam a ser abordadas em seu cinema: o místico. “Mas não será um filme proselitista, pelo amor de Deus!”.

O Anjo Desarticulado será um filme sobre o êxtase. “Digamos que seria o encontro de Fausto com Deus”, ilustra o cineasta, que só deve se dedicar ao projeto “quando tomar coragem e operar dessa catarata que atrapalha”. Em junho, quando conversou com o Cineclick, o cineasta revelou que a semente do filme já estava no curta Equilíbrio e Graça, material integrante dos extras do DVD de Garotas do ABC.

*Heitor Augusto viajou a convite da organização do evento


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus